A B C D E
F G H I JK
L M N O P
Q R S T U
VXY Mogiana em MG
Indice de estações
...
Sinimbu
Dona Euzébia
Astolfo Dutra
...
ESTIVE NO LOCAL: NÃO
ESTIVE NA ESTAÇÃO: NÃO
ÚLTIMA VEZ: N/D
...
 
E. F. Leopoldina (1879-1975)
RFFSA (1975-1996)
DONA EUZÉBIA
Município de Dona Euzébia, MG
Linha do Centro - km 371,088 (1960)   MG-1167
Altitude: 321 m   Inauguração: 23.04.1879
Uso atual: centro cultural (2007)   sem trilhos
Data de construção do prédio atual: n/d
 
 
HISTORICO DA LINHA: O trecho entre Porto Novo do Cunha, ponta do ramal de Porto Novo da EFCB em 1871, e a cidade de Ubá foi a própria origem da E. F. Leopoldina. O primeiro trecho foi aberto em 1874, de Porto Novo a Volta Grande, e no ano seguinte os trilhos já chegavam a Santa Izabel (Abaíba). Em 1879, a estrada já atingia Ubá, passando por Cataguazes, e tendo um ramal para a cidade de Leopoldina, esta sim, a origem do nome da ferrovia. Em Ubá, a linha do Centro se juntava com a linha Três Rios-Caratinga. A partir daí, com a compra de outras ferrovias e diversos prolongamentos em várias linhas, a Leopoldina se desenvolveu até ter uma das maiores malhas ferroviárias do País, entrando pelo Estado do Rio de Janeiro, atingindo a então capital federal e também chegando a Vitória, no Espírito Santo. A linha-mestra foi chamada de Linha do Centro e vinha da cidade do Rio de Janeiro por Petrópolis, e mais tarde pela Linha Auxiliar da EFCB, que nos anos 60 acabou por ser incorporada à rede da Leopoldina. Em 1971, a Leopoldina desapareceu, incorporada de vez pela Refesa; hoje mais da metade da sua antiga malha viária está desativada. A Linha do Centro somente tem em atividade real para cargueiros basicamente o trecho entre Cataguazes e Porto Novo, enquanto que os trens de passageiros que por ali passavam já não existem desde os anos 1970.
 
A ESTAÇÃO: A estação de Dona Euzebia foi inaugurada em 1879 pela E. F. Leopoldina. Há fontes que citam a data de inauguração da estação como tendo sido em 28/02/1880. Os nomes desta estação e a de Astolfo Dutra têm uma história bastante confusa e a situação pode ser explicada pelas seguintes lei e decreto-lei: "Lei n. 843, de 07.12.1923 - Criou o distrito de Astolfo Dutra, no município de Cataguases, com sede no povoado de Dona Euzébia, antes pertencente ao distrito de Cataguarino, no mesmo município. A nova denominação não agradou aos moradores e o antigo nome foi restaurado quinze anos depois. Decreto-Lei nº 148, de 17.12.1938 - Criou o município de Astolfo Dutra, com sede no antigo distrito de Santo Antonio do Porto, e anexou-lhe o distrito de Dona Euzébia, cujo nome foi restaurado por este mesmo decreto, tendo sido os dois distritos desmembrados do município de Cataguases (enviado por Joana Capella em 14/8/2011)". O prédio estava em pé até 2007, em bom estado, e sendo utilizado então como centro cultural e para atividades de lazer da terceira idade. Descaso total por uma linha que oficialmente está concessionada à FCA desde 1996: "Em Dona Euzébia, distante cerca de 15 quilômetros, uma placa colocada recentemente pela Ferrovia Centro-Atlântica (FCA) alerta sobre a proibição de se construir sobre os trilhos da ferrovia, mas a prefeitura ergueu uma praça sobre a Linha Mineira e se prepara para fazer um calçamento ao longo da ferrovia" (Ricardo Beghini, jornal Hoje em Dia, 26/8/2011).
AO LADO: Carimbo postal da estação, sem datador. O selo circulou no final do século XIX início do século XX. A agência postal foi criada em 15/07/1881. A mala postal expedida pela Administração Postal Federal (Rio de Janeiro), que englobava a mala da Administração Regional, nessa época Ouro Preto, seguia pela E. F. Central do Brasil até Entre Rios, em seguida pelo Ramal de Porto Novo até Porto Novo do Cunha. A partir daí, pela E. F. Leopoldina – Linha do Centro - até D. Eusébia. A permuta das malas era diária. D. Eusébia pertencia ao município de Cataguazes. O nome é em homenagem da E. F. Leopoldina à Sra. Eusébia Joaquina de São José, esposa do fazendeiro, Sr. Domingos José de Souza Lima, que criou facilidades para a chegada da estrada de ferro. A localidade se desenvolveu ao lado da estação, em função desta (Texto e reprodução do selo: Marcio Protzner).
(Fontes: Jorge A. Ferreira; Gutierrez L. Coelho; Maria Imaculada Ribeiro; Hugo Caramuru; Marcio Protzner; Ricardo Beghini; Hoje em Dia, 2011; Guia Geral das Estradas de Ferro do Brasil, 1960)
     

A estação de Dona Eusébia ainda em atividade, em 1989. Autor desconhecido

A estação, em 2001. Autor desconhecido

A estação em 09/2003. Foto Jorge A. Ferreira

A estação em 09/2003. Foto Jorge A. Ferreira

A estação em 09/2003. Foto Jorge A. Ferreira

A estação em 12/2004. Foto Gutierrez L. Coelho

A estação em abril de 2008. Foto Marcio Protzner
   
     
Atualização: 19.06.2016
Página elaborada por Ralph Mennucci Giesbrecht.