A B C D E
F G H I JK
L M N O P
Q R S T U
VXY Mogiana em MG
Indice de estações
...
Silveira Carvalho
Barão de Monte Alto
Patrocínio do Muriaé
...
ESTIVE NO LOCAL: NÃO
ESTIVE NA ESTAÇÃO: NÃO
ÚLTIMA VEZ: N/D
...
 
E. F. Leopoldina (1885-1975)
RFFSA (1975-1979)
BARÃO DE MONTE ALTO
(antiga MORRO ALTO)
Município de Barão de Monte Alto, MG
Linha de Manhuaçu-km 363,323(1960)   MG-1742
Altitude: 197 m   Inauguração: 23.03.1885
Uso atual: n/d   sem trilhos
Data de construção do prédio atual: n/d
 
 
HISTORICO DA LINHA: A linha que ligava a estação de Recreio a Santa Luzia (Carangola) teve a sua concessão e construção a cargo da Companhia Alto Muriaé, estabelecida em 1880. Em 2/5/1883, a empresa foi incorporada pela E. F. Leopoldina. Uma alteração de traçado da linha original para Muriaé levou a Leopoldina a passar por uma pequena extensão dentro de território fluminense, onde estava Santo Antonio (Porciúncula), retornando para Minas, seguindo para Carangola, onde chegou em 1887. De 1911 a 1915, a Leopoldina prosseguiu a linha até Manhuaçu, seu ponto final. O trecho Manhuaçu-Carangola foi fechado em 23/07/1975. Porciúncula-Carangola foi fechado em 1977, e em 1979, fechou-se a linha entre Cisneiros e Porciúncula. O pequeno trecho Recreio-Cisneiros nunca foi oficialmente suprimido.
 
A ESTAÇÃO: A estação de Morro Alto foi inaugurada em 1885. Nos anos 60, seu nome foi alterado para Barão de Monte Alto. Em 22/01/1979, foi suprimido pela RFFSA o trecho entre Porciúncula e Cisneiros, fechando de vez a estação. Os trens de passageiros, entretanto, já não corriam desde 1977. Em 1976, os trens, segundo o Guia Levi, saindo de Recreio todos os dias às 6 da manhã, chegavam a Barão de Monte Alto às 8:34. "O trecho que eu viajava com minha mãe era Morro Alto-Porciúncula, onde moravam meus avós maternos. Era uma festa: as paradas (Patrocínio, Eugenópolis, D. Emília...) e os vendedores de "quitandas", as paisagens que se sucediam, o barulho nos túmeis e pontilhões. Aos meus olhos de criança era tudo muito impressionante. Sem falar do movimento do trem na cidade e a espera dos parentes. Meu avô sempre acenava com um lenço branco ao passar pela curva

ACIMA: Carimbo postal de 1904 da estação de Morro Alto. A agência foi criada em 12/8/1885. Permutava malas postais diariamente com a Administração Federal - Rio de Janeiro. As malas postais seguiam pela EF Leopoldina - Ramal de Muriaé - até a Estação de Recreio. Daí, pela linha do centro da mesma estrada de ferro até Porto Novo do Cunha. Em seguida, já pela Estrada de Ferro Central do Brasil - Ramal de Porto Novo - até Entre Rios, seguindo ao destino pela linha do centro (Reprodução e texto de Márcio Protzner, 02/2009). ABAIXO: Mapa parcial do município de Palma nos anos 1950. Ainda incorporava Morro Alto (hoje Barão do Monte Alto). Ao sul, logo ao sul de Cisneiros, a linha segue a oeste para Recreio e a lests para Paraoquena - este é o ramal de Paraoquena (IBGE: Enciclopédia dos Municípios Brasileiros, vol. VII, 1958). de onde, no quintal de casa, víamos o trem. Curti isso até uns seis anos (1969). Depois, ele foi parando de circular. Quando parou mesmo, minha família já havia começado a migrar, vitimada pela crise dos 70. Quando retornamos (pior do que saímos), por volta de 1975, não havia mais trens. As linhas foram arrancadas logo depois, sobraram as estradas de chão, até hoje, pasme! Quando, às vezes visito minhas tias em Porciúncula, meu irmão mais velho faz questão de percorrer comigo o antigo leito do trem. São regiões lindas. Tão lindas quanto esquecidas. Meu bisavô recebia os jornais pelo trem. Atualmente, nem banca de jornal existe em Barão do Monte Alto. Havia um senhor italiano que vendia revistas no trem. Depois de muitos anos, pelo final dos 1980, eu e minha mãe o encontramos em Porciúncula, ele se lembrou dela e a cumprimentou. No trem, além das revistas, o que mais me encantava era o ferroviário que cuidava dos bilhetes e o seu sobretudo
" (Dilma A. de Paula, 09/2005).
(Fontes: Marcelo Carneiro; Dilma A. de Paula; Marcio Protzner; IBGE: Enciclopédia dos Municípios Brasileiros, vol. VII, 1958; Edmundo Siqueira: Resumo Histórico da Leopoldina Railway, 1938; Cyro Pessoa Jr.: Estudo Descritivo das Estradas de Ferro do Brasil, 1886; Guia Geral das Estradas de Ferro do Brasil, 1960; Guias Levi, 1932-80)
     

A estação, provavelmente anos 1940. Ver como a casa em frente de dois andares já está abandonada. Ainda existirá? Autor desconhecido

A estação desativada, em 2001. Autor desconhecido

A estação em 19/6/2010. Foto Marcelo Carneiro
 
     
Atualização: 28.03.2011
Página elaborada por Ralph Mennucci Giesbrecht.