A B C D E
F G H I JK
L M N O P
Q R S T U
VXY Mogiana em MG
Indice de estações
...
Mirante
Coimbra
Cajuri
...
ESTIVE NO LOCAL: NÃO
ESTIVE NA ESTAÇÃO: NÃO
ÚLTIMA VEZ: N/D
...
 
E. F. Leopoldina (1885-1975)
RFFSA (1975-1996)
COIMBRA
Município de Coimbra, MG
Linha de Caratinga - km 356,913 (1960)   MG-0862
Altitude: 715 m   Inauguração: 16.08.1885
Uso atual: loja de materiais   sem trilhos
Data de construção do prédio atual: n/d
 
 
HISTORICO DA LINHA: Este trecho da Leopoldina na verdade era uma junção de várias linhas isoladas originalmente, construídas em épocas diferentes. O trecho entre Entre Rios (Três Rios e Silveira Lobo foi aberto em 1903 e 1904; o seguinte, até a estação de Guarani, ficou pronto em 1883 e havia sido construído e operado pela Cia. União Mineira, até a entrega à Leopoldina, em 1884; o trecho entre esse ponto e Ligação ficou pronto em 1886, enduanto daí para a frente, até Ponte Nova, foi entregue entre os anos de 1879 e 1886. Entre 1912 e 1926, entregou-se a linha até Matipoó (Raul Soares) e finalmente, em 1931, a linha chegou a Caratinga, de onde não passou. Havia um trem de Barão de Mauá, no centro do Rio de Janeiro, para Caratinga, via Petrópolis, todos os dias, desde que a linha completa foi entregue, em 1931. Sem trens de passageiros desde os anos 80 (em 1980 ainda existiam trtens mistos fazendo o serviço de passageiros entre Ubá e Caratinga, vindo de Recreio, na antiga linha-tronco da EFL), a linha foi erradicada em 1994 nos trechos Três Rios-Ligação e Ponte Nova-Caratinga; o trecho intermediário consta até hoje como tendo "tráfego suspenso".
 
A ESTAÇÃO: A estação de Coimbra foi inaugurada em 1885. Coimbra era a estação mais alta dessa linha em território mineiro (715 metros).

No início dos anos 1980, deixaram de passar por ali os trens de passageiros. O último trem cargueiro teria passado pela estação em 6 de novembro de 1966.

A linha, entre Ubá e Ponte Nova, nunca foi oficialmente suprimida; o movimento, porém, é nulo. A estação está desativada há anos. Os trilhos já foram retirados.

Descaso total por uma linha que oficialmente está concessionada à FCA desde 1996: "A prefeitura inaugurou no mês passado (julho de 2011) uma nova rodoviária, erguida justamente sobre a ferrovia. Na zona rural, num trecho de serra, a 3 quilômetros da cidade, o cenário é dos mais desoladores. Dezenas de trilhos foram furtados ao longo dos últimos anos, deixando um estranho vazio entre as montanhas do município. O prefeito de Coimbra, Antônio José Cunha, diz que não sabia que a nova rodoviária do município, inaugurada no mês passado, está sob a faixa de domínio da ferrovia. Ele alega que o projeto começou na gestão do prefeito anterior. 'Como chefe do Executivo, tenho que dar sequência à obra. Ela deveria ter sido embargada no início', justifica" (Ricardo Beghini, jornal Hoje em Dia, 26/8/2011).


ACIMA: Já desativada como estação de passageiros, mas com a linha ainda ativa e com um trem de passageiros especial que saiu de Minas Gerais e foi parar no Paraná, a estação de Coimbra é vista aqui em julho de 1990 (Foto Hugo Caramuru). ABAIXO: Mapa dos anos 1950 mostra a linha passando pelo município de Coimbra (mapa parcial) (IBGE: Enciclopédia dos Municípios Brasileiros, vol. VII, 1960).

ACIMA: Bilhete postal emitido em 1893 (ainda com efígie do Imperador) recebido na "estação de Coimbra" - embora uma anotação a lápis tenha corrigido para "Capivara" (Acervo Paulo Castagnet).

(Fontes: Gutierrez L. Coelho; Jair Barreiros; Paulo Castagnet; Elias Torrent; Ricardo Beghini; Hoje em Dia, 2011; Cyro Deocleciano Pessoa Jr.: Estudo Descriptivo das Estradas de Ferro do Brasil, 1886; IBGE: Enciclopédia dos Municípios Brasileiros, 1960; Guia Geral das Estradas de Ferro do Brasil, 1960; Guias Levi, 1932-82)
     

A estação ativa, nos anos 1950. Enciclopédia dos Municípios Brasileiros, IBGE, 1960

A estação de Coimbra, em 2001. Autor desconhecido

A estação em 06/2004. Foto Gutierrez L. Coelho

A estação em 08/2005. Foto Elias Torrent

A estação em 26/7/2011. Foto Jair Barreiros
 
     
Atualização: 20.09.2017
Página elaborada por Ralph Mennucci Giesbrecht.