A B C D E
F G H I JK
L M N O P
Q R S T U
VXY Mogiana em MG
Indice de estações
...
Três Rios
Três Rios-EFL
Piracema
...
ESTIVE NO LOCAL: SIM
ESTIVE NA ESTAÇÃO: NÃO
ÚLTIMA VEZ: 2012
...
 
E. F. Leopoldina (1900-1975)
RFFSA (1975-1994)
TRÊS RIOS-EFL
Município de Três Rios, RJ
Linha de Caratinga - km 125,095 (1960)   MG-1811
Altitude: 268 m   Inauguração: 24.05.1900
Uso atual: Centro Cultural da Prefeitura de Três Rios (2009)   sem trilhos
Data de construção do prédio atual: 1900?
 
 
HISTORICO DA LINHA: Este trecho da Leopoldina na verdade era uma junção de várias linhas isoladas originalmente, construídas em épocas diferentes. O trecho entre Entre Rios (Três Rios e Silveira Lobo foi aberto em 1903 e 1904; o seguinte, até a estação de Guarani, ficou pronto em 1883 e havia sido construído e operado pela Cia. União Mineira, até a entrega à Leopoldina, em 1884; o trecho entre esse ponto e Ligação ficou pronto em 1886, enquanto daí para a frente, até Ponte Nova, foi entregue entre os anos de 1879 e 1886. Entre 1912 e 1926, entregou-se a linha até Matipoó (Raul Soares) e finalmente, em 1931, a linha chegou a Caratinga, de onde não passou. Havia um trem de Barão de Mauá, no centro do Rio de Janeiro, para Caratinga, via Petrópolis, todos os dias, desde que a linha completa foi entregue, em 1931. Sem trens de passageiros desde os anos 80 (em 1980 ainda existiam trtens mistos fazendo o serviço de passageiros entre Ubá e Caratinga, vindo de Recreio, na antiga linha-tronco da EFL), a linha foi erradicada em 1994 nos trechos Três Rios-Ligação e Ponte Nova-Caratinga; o trecho intermediário consta até hoje como tendo "tráfego suspenso".
 
A ESTAÇÃO: A estação de Três Rios da Leopoldina - uma das estações de pedra" - parecia ser apenas um posto auxiliar da estação maior, da Linha do Centro da Central do Brasil. A estação da Leopoldina ficava a uns dois quarteirões da estação da Central. Quem vinha pelo trem de passageiros do Rio pela Leopoldina, sairia da estação de Barão de Mauá, passaria por Caxias, subiria a
ACIMA: A estação de Três Rios da Leopoldina, ainda funcionando, aparece nesta fotografia de 1968. Reparem no pátio cheio. O prédio da estação, hoje isolafo, é o quarto telhado no centro, com duas águas e entre a rua e as composições. Hoje esse pátio e a linha não mais existem (Autor desconhecido). ABAIXO: Triste cena dos anos 1990: a linha de bitola métrica que seguia para Bicas, Ubá e Caratinga retirada e abandonada (Foto José A. de Vasconcelos).

cremalheira de Petrópolis e atingiria Três Rios, quase na divisa RJ/MG, onde o trem era partido em dois. Um pedaço ia para a linha de Manhuaçu, à direita, e o outro para a linha de Caratinga, à esquerda. A Central autorizou a Leopoldina a se utilizar da linha métrica desde onde desembocava o ramal de Petrópolis até a estação de Três Rios em 1o de janeiro de 1901. "A primeira estação da antiga The Leopoldina Railway, em Três Rios, também chamada de "casa de pedra" devido à utilização de pedras "marruadas" na sua aparência externa. Os trens, naquela época procediam do Rio de Janeiro, depois Petrópolis, e quando entrava em Triângulo, uma estação num bairro próximo ao centro de Três Rios, geralmente entravam na perna de uma linha em forma de triângulo, em direção ao interior, e retornava de ré, atravessava uma P.N., dessa forma e dessa mesma forma entrava na plataforma da Casa de Pedra. Após o embarque/desembarque do pessoal/mercadorias, seguia de frente para Caratinga e/ou Manhuaçú. A estação, durante muito tempo foi considerada uma obra de arquitetura ferroviária. Depois, com acordos entre dirigentes da Central do Brasil e da Leopoldina, os trens da Leopoldina passaram a sair da antiga estação da Central localizada no c entro "nervoso" da cidade. A "Estação de Pedra" ficou apenas com os despachos e recepção de mercadorias, durante algum tempo. Mais tarde, seu movimento se prendeu apenas ao movimento das oficinas de manutenção e conservação de carros de passageiros e vagões de carga. Essas oficinas ainda existiam na década de 1990 a título precário. Não sei se ainda existem, pois, já naquela época se versava muito sobre o encerramento das atividades" (José A. de Vasconcelos, 2012). Hoje está sem pátio e sem trilhos, não faz mais parte do circuito ferroviário da cidade.
(Fontes: Hugo Caramuru; José A. de Vasconcelos; Jorge A. Ferreira; Lidia Machado Pereira; Mamória Histórica da Central do Brasil, 1908, p. 500; Guia Geral das Estradas de Ferro do Brasil, 1960)
     

A estação de Três Rios, da Leopoldina, em 2001. Foto Jorge A. Ferreira

A estação, em 03/2003. Foto Jorge A. Ferreira

A estação, em 03/2003. Foto Jorge A. Ferreira

A estação, em 03/2003. Foto Jorge A. Ferreira

A estação em 20/9/2009. Foto Lidia Machado Pereira
 
     
Atualização: 23.03.2014
Página elaborada por Ralph Mennucci Giesbrecht.