A B C D E
F G H I JK
L M N O P
Q R S T U
VXY Mogiana em MG
Indice de estações
...
Cajuri
Viçosa-Universidade
Viçosa
...
ESTIVE NO LOCAL: NÃO
ESTIVE NA ESTAÇÃO: NÃO
ÚLTIMA VEZ: S/D
...
 
E. F. Leopoldina (1929-1975)
RFFSA (1975-1996)
VIÇOSA-UNIVERSIDADE
(ou ESCOLA DE AGRICULTURA)
Município de Viçosa, MG
Linha de Caratinga - km 379,825(1960)   MG-1808
Altitude: 657 m   Inauguração: 1929
Uso atual: centro de informações   sem trilhos
Data de construção do prédio atual: n/d
 
 
HISTORICO DA LINHA: Este trecho da Leopoldina na verdade era uma junção de várias linhas isoladas originalmente, construídas em épocas diferentes. O trecho entre Entre Rios (Três Rios e Silveira Lobo foi aberto em 1903 e 1904; o seguinte, até a estação de Guarani, ficou pronto em 1883 e havia sido construído e operado pela Cia. União Mineira, até a entrega à Leopoldina, em 1884; o trecho entre esse ponto e Ligação ficou pronto em 1886, enduanto daí para a frente, até Ponte Nova, foi entregue entre os anos de 1879 e 1886. Entre 1912 e 1926, entregou-se a linha até Matipoó (Raul Soares) e finalmente, em 1931, a linha chegou a Caratinga, de onde não passou. Havia um trem de Barão de Mauá, no centro do Rio de Janeiro, para Caratinga, via Petrópolis, todos os dias, desde que a linha completa foi entregue, em 1931. Sem trens de passageiros desde os anos 80 (em 1980 ainda existiam trtens mistos fazendo o serviço de passageiros entre Ubá e Caratinga, vindo de Recreio, na antiga linha-tronco da EFL), a linha foi erradicada em 1994 nos trechos Três Rios-Ligação e Ponte Nova-Caratinga; o trecho intermediário consta até hoje como tendo "tráfego suspenso".
 
A ESTAÇÃO: Esta era uma parada na linha, que passava dentro da Universidade Federal de Viçosa. Tem trilhos até hoje. "A Universidade Federal de Viçosa originou-se da Escola Superior de Agricultura e Veterinária - ESAV, criada pelo Decreto 6.053, de 30 de março de 1922, do então Presidente do Estado de Minas Gerais, Arthur da Silva Bernardes. A ESAV foi inaugurada em 28 de agosto de 1926, por seu idealizador Arthur Bernardes, que na época ocupava o cargo máximo de Presidente da República. Em 1927 foram iniciadas as atividades didáticas, com a instalação dos Cursos Fundamental e Médio e, no ano seguinte, do Curso Superior de Agricultura. Em 1932 foi a vez do Curso Superior de Veterinária" (texto do site www.ufv.br). No Guia Geral das Estradas de Ferro do Brasil de 1960, a parada aparece com o nome de Escola de Agricultura. Segundo informações de Giovanni Ribeiro de Carvalho, o projeto executado foi organizado pelo escritório técnico de Leopoldina Railway. Uma plataforma de 14 x 3,10 m com uma abertura de telhas francesas repousa sobre 4 colunas de dois trilhos vergados, craveados em base de concreto. O piso da plataforma é de concreto rematado a chapa de cimento. Uma sala de espera de 2,70 x 2,50 m com duas portas e duas janelas, sendo o piso de parquete. Foi acrescentada pela chefia da construção uma balaustrada correspondendo com a cerca da Leopoldina em toda a extensão da plataforma. A modificação que foi feita nesta parada para dar-lhe a forma atual foi feita em 1952, para abrigar uma agência dos Correios. Em meados de outubro de 2003, notícias de jornais dão conta que a Universidade teria negociado com a FCA - concessionária da linha sem uso - e com a RFFSA para
ACIMA: Trem de inauguração da Escola Superior de Agricultura e Veterinária - ESAV, conduzindo o Presidente Arthur Bernardes, em 1926 (Acervo Universidade Federal de Viçosa). ABAIXO: Vista da Universidade de Viçosa, em 1989. A linha da Leopoldina passava (ainda passa) ao centro da foto, em diagonal, entre as fileiras de árvores que cercam os trilhos, entre os diversos prédios. Não dá para ver a estaçãozinha (Foto revista Manchete Rural, edição em 1989).

estabelecer uma ligação ferroviária do centro de Viçosa com a parada da Universidade, para transporte de estudantes e do público em geral. Não havia saído nada até 2007. "Quando estive em Viçosa, em 1995, era a barbearia do campus e passava trem. Passavam os cargueiros de vagões fechados de cimento ensacado a ser distribuído nas cidades da linha. Estive num congresso em 1995 e várias vezes as palestras eram interrompidas pelo barulho das locomotivas subindo a rampa que passa pelo campus e suas
buzinas, por serem diesel. Numa delas, pedi silêncio aos que
ACIMA: Em junho de 1990, quando os trens ainda passavam pelo campus da Universidade de Viçosa: a foto foi tirada de um trem especial que circulou naquele ano uma única vez (Foto Hugo Caramuru).
ACIMA: Mapa dos anos 1950 mostra a linha passando pelo município de Viçosa, mostrando ao norte da sede a estação da Escola Agronomica, atual UFV (mapa parcial) (IBGE: Enciclopédia dos Municípios Brasileiros, vol. VII, 1960).
assistiam, e depois que o trem passou, expliquei qual era o meu hobby e que aquele som era música para meus ouvidos. De noite, o alojamento universitário tremia com a passagem dos trens. Bons tempos.depois, em 1999, já não passava mais, a estação já era uma loja de lembranças e material escolar; em 2003 estava sendo restaurada e ficaria como posto de informações do campus. Pelo que me falaram em Viçosa, esta parada servia à fazenda de Arthur Bernardes, que foi Presidente da República entre 1922 e 1926, e depois a familia doou a terra para ser construída a UFV
. A estação hoje, restaurada, é uma central de informações da UFV" (Marcio, Santo André, SP e Gustavo Torres, Viçosa, MG, 08/2005). "Em tempo, quando estive lá em 1996, a estação dentro do campus era uma barbearia. Em 1999, estava em reforma e em 2003 era uma loja de lembranças e artigos da UFV" (Marcio, Santo André, 2007).
(Fontes: André A. A. Amorim; Aguinaldo Pacheco; Hugo Caramuru; Giovanni Ribeiro de Carvalho; Gustavo Torres; Jair Barreiros; Marcio __; Acervo UFV; www.ufv.br; Manchete Rural, 1989; IBGE: Enciclopédia dos Municípios Brasileiros, vol. VII, 1960; Guia Geral das Estradas de Ferro do Brasil, 1960; Guias Levi, 1932-80)
     

A estação em 1939. Acervo UFV

A parada, em 1999. Foto André A. A. Amorim

A parada em 03/2003. Foto André A. A. Amorim

A parada em 03/2003. Foto André A. A. Amorim

A parada em 07/08/2005. Foto Gustavo Torres

A parada (fachada) em 07/08/2005. Foto Gustavo Torres

A estação em 2007. Foto Jair Barreiros
 
     
Atualização: 22.03.2014
Página elaborada por Ralph Mennucci Giesbrecht.