A B C D E
F G H I JK
L M N O P
Q R S T U
VXY Mogiana em MG
Indice de estações
...
Rio Doce
Dom Silvério
...
ESTIVE NO LOCAL: NÃO
ESTIVE NA ESTAÇÃO: NÃO
ÚLTIMA VEZ: S/D
...
 
E. F. Leopoldina (1887-1973)
DOM SILVÉRIO
Estação antiga, à esquerda, e nova, à direita.
(antiga SAÚDE)
Município de Dom Silvério, MG
Ramal de Dom Silvério - km 502,350 (1960)   MG-0842
Altitude: 492 m   Inauguração: 20.02.1887
Uso atual: abandonada (2016)   sem trilhos
Data de construção do prédio atual: c.1970
 
 
HISTORICO DA LINHA: O ramal de Saúde - depois Ramal de Dom Silvério - foi entregue ao tráfego nos anos de 1886 e 1887, com ponto terminal em Saúde (Dom Silvério). Era a continuação da linha que vinha de Ubá e Ponte Nova, mas com a entrega, em 1916, da linha Ponte Nova-Matipoó (Raul Soares), o trecho Ponte Nova-Saúde passou a ser considerado um ramal. Ele foi suprimido em 30/06/1973.
 
A ESTAÇÃO: A estação de Dom Silvério teria sido inaugurada em 1886 pela E. F. Leopoldina, com o nome de Saúde, de acordo com alguns registros. Entretanto, historiadores da cidade dão a inauguração da estação e a chegada do primeiro trem como tendo sido em 20/02/1887. As mercadorias levadas por tropeiros em lombo de burro levando no maximo dois sacos de 60 quilos, percorrendo poucos quilômetros por dia, passou a atingir o Rio de Janeiro em 24 horas a 500 km de distância. O nome da estação e da cidade foi alterado em 12/12/1938 para o atual, que homenageia Dom Silvério Gomes Pimenta, primeiro arcebispo de Mariana e do Brasil, nascido em Congonhas do Campo, MG. A estação e o ramal foram fechados "em caráter provisório" em 08/09/1971, de acordo com o relatório da Leopoldina desse ano. Terão ela e o ramal sido reabertos? De qualquer forma, o ramal fechou definitivamente em 30/06/1973. "Posso te adiantar que a estação primitiva da Leopoldina foi demolida, no inicio da dieselização. A então RFFSA construiu um novo pátio e uma nova estação, com estilo arquitetônico da época (inicio dos anos 1960) em outro local, afastado do centro da cidade. Hoje tudo está abandonado e sem trilhos. O curioso foi constatar que, em algum momento, a Rede iniciou as obras de construção de uma linha que ligaria Dom Silvério a Nova Era, para encontrar a E. F. Vitória-Minas. Este projeto nunca foi concluído, porem muita grana foi jogada fora com obras hoje abandonadas: viadutos, pontes, túnel, aterros e cortes numa extensão de uns 10 Km. A preparação do leito teria chegado até Nova Era, o que aumentou o desperdício. Está tudo lá, já esquecido. O único vestígio da Leopoldina que vi em Dom Silvério é a linda ponte na entrada da cidade" (Informações de Gutierrez L. Coelho, 06/2004). "Nos idos de 1960 a RFFSA deu continuidade aos planos da antiga EF Leopoldina de levar sua linha de Dom Silvério para Nova Era, chegando à EFVM. O plano original previa que a Leopoldina atingisse Itabira para buscar minério de ferro. A Rede deu prosseguimento aos planos da Leopoldina e construiu as obras civis da Ligação Dom Silvério - Nova Era entre 1960 e 1974, mais ou menos. Foram construídas muitas obras de arte no trecho, incluindo 3 túneis e diversas pontes e bueiros grandes para permitir a linha cruzar sobre o Rio do Peixe e outros córregos no caminho. Estive percorrendo alguns trechos dessa linha planejada em janeiro de 2006, na companhia do amigo Jairo Mello. Pena que a linha não chegou a ser lançada, pois teríamos a chance de ver a linha da Leopoldina entre Dom Silvério e Cataguases ainda operacional. Quando da minha viagem ao local, descobri que a CVRD está estudando a abertura de minas de manganês na região de Dom Silvério. Fotos da Leopoldina que vi por lá mostravam locomotivas a vapor tracionando gôndolas de manganês nos idos de 1960... e pensar que muita gente diz que a Leopoldina nunca puxou minério. A estação "nova" de Dom Silvério, que só foi usada por 6 meses, está situada a cerca de 500 metros antes de um dos túneis da linha jamais construída. Para chegar ali, o ramal da linha nova saía do girador da antiga Leopoldina, antes da estação velha e da ponte de ferro. Era preciso passar pelo girador para ter acesso ao pátio da esplanada, como era chamado. Nas fotos que vi lá, apenas locos U5B e vagões de carga trafegaram por ali" (Pedro Paulo Resende, 04/2006). A estação estava em 2006 completamente abandonada e tomada pelo mato.
ACIMA: Ponte no ramal de Dom Silverio em 1906 (Autor desconhecido).

TRENS - De acordo com os guias de horários, os trens de passageiros pararam nesta estação de 1887 a 1973. Veja aqui horários em 19-- (Guias Levi).
AO LADO: Dom Silvério, morto em Mariana em 1922 (Foto Revista da Semana, 9/9/1922)

ACIMA: Belíssima ponte de pedras construída em 1887 pela Leopoldina e hoje mais do que centenária, em cuja parte superior passava o ramal de Dom Silvério na entrada da cidade, até a sua desativação. Hoje está sem uso, mas é uma espécie de monumento (Foto Gustavo Torres, 14/4/2010). ABAIXO: Ponte do ramal em Saúde, em foto de 1906 (Autor desconhecido).

ACIMA: A ligação da estação de Dom Silverio a Nova Era, na junção da EFVM com a Central do Brasil parecia ser em 1961 a salvação para a Leopoldina, que buscaria minério de ferro na EFVM para o porto do Rio de Janeiro. As obras se iniciaram mas jamaos foram concluídas. CLIQUE SOBRE A IMAGEM PARA VER A NOTÍCIA TODA (A Noite, 17/1/1961).
(Fontes: Gustavo Torres; Pedro Paulo Rezende; Gutierrez L. Coelho; Edmundo Siqueira: Resumo Histórico da Leopoldina Railway, 1938; Cyro Pessoa Jr.: Estudo Descritivo das Estradas de Ferro do Brasil, 1886; Guia Geral das Estradas de Ferro do Brasil, 1960; Guias Levi, 1932-1980)
     

A primitiva estação de Saúde, no início do século 20. Cessão Pedro Paulo Resende

A estação em 06/2004. Foto Gutierrez L. Coelho

A estação em 06/2004. Foto Gutierrez L. Coelho

O mato já toma a estação, em 15/01/2006. Foto Pedro Paulo Rezende
   
     
Atualização: 16.03.2016
Página elaborada por Ralph Mennucci Giesbrecht.