A B C D E
F G H I JK
L M N O P
Q R S T U
VXY Mogiana em MG
Indice de estações
...
São João da Mata
Coutinho
Morro Grande
...
Saída para o ramal de Castelo: Conduru
...
ESTIVE NO LOCAL: SIM
ESTIVE NA ESTAÇÃO: SIM
ÚLTIMA VEZ: 2008
...
 
Cia. Lloyd Brasileiro (1887-1898)
Espirito Santo and Caravellas Ry. Co. Lmtd. (1898-1907)
E. F. Leopoldina (1907-c.1967)
COUTINHO (antiga MATOSINHOS)
Município de Cachoeiro do Itapemirim, ES
Ramal Sul do Espírito Santo - km 495,000 (1960)   ES-1712
Altitude: 69 m   Inauguração: 16.09.1887
Uso atual: moradia (2008)   sem trilhos
Data de construção do prédio atual: n/d
 
 
HISTORICO DA LINHA: O Ramal Sul do Espírito Santo, assim denominado pela Leopoldina teve sua origem na E. F. Sul do Espírito Santo, que tinha uma linha construída na região de Vitória e pertencia ao Governo do Estado do Espírito Santo, e na E. F. Caravelas, ambas adquiridas pela Leopoldina em 1908. A Caravelas partia de Vitória para Castelo, de um lado, e para Rive, do outro, bifurcando na estação de Matosinhos (Coutinho). Estes trechos estavam prontos desde 1887. Para chegar a Minas Gerais, na linha do Manhuaçu, como rezava o contrato, a Leopoldina levou cinco anos, abrindo o trecho Rive-Alegre em 1912 e até Espera Feliz, ponto final, em 1913. No final dos anos 60, o trecho Cachoeiro-Guaçuí foi suspenso para passageiros e finalmente erradicado em 26/10/1972. O outro trecho, Espera Feliz-Guaçuí, transportou passageiros até a sua erradicação, em 05/11/1971. Sobram ainda trilhos desde Cachoeiro até próximo à estação de Coutinho, para transportar mármore e granito das diversas serrarias dessas pedras que existem na região.
 
A ESTAÇÃO: A estação de Matosinhos, homenagem a um dos donos originais da ferrovia, foi aberta em 1887, sendo ela a bifurcação da linha que, vindo de Cachoeiro do Itapemirim, seguia ao norte para Castelo (ramal do Castelo) e para noroeste (ramal de Alegre). (Nota: O Guia Geral das Estradas de Ferro do Brasil de 1960 cita a inauguração da estação em 28/04/1908, o que não faz sentido).

"No dia seguinte (16 de setembro de 1887), às dez da manhã, o trem inaugural, apinhado de gente, partia da estação do Cachoeiro e fazia o percurso, até Matosinhos, em uma hora e cinco minutos. Retardando a parada por vinte minutos, para dar tempo aos discursos e vivas, partiu, rumo à estação do Alegre. Explicando melhor, a vila do Alegre se distanciava légua e meia do ponto terminal da linha férrea, sito em terras do fazendeiro Vicente Ferreira de Paiva, banhadas pelo córrego Pombal, nome que tomou a estação, mais tarde mudado para Reeve [Rive]. Ali, o velho e rico fazendeiro, seu filho, genro e outros parentes ofereceram um lanche à comitiva" (Levy Rocha, Crônicas de Cachoeiro).

A compra das linhas pela Leopoldina em 1908 acabou por prolongar a linha de Alegre até Espera Feliz, na linha do Manhuaçu, em Minas Gerais, onde chegou cinco anos depois.

Nos anos 1940, a estação teve o nome alterado para Coutinho. Trens de passageiros circularam por Coutinho até o final dos anos 1960, mas, antes disso, em 1963, o ramal de Castelo já havia sido fechado.

O ramal saía de um pouco antes da estação de Coutinho, cruzando um rio que existe em frente e que não é visto em nenhuma das fotografias abaixo. Da ponte somente restam os pilares. Da vila sobram ainda uma casa de turma e a caixa d'água.

A estação em 2008 servia como moradia, onde vivia o Sr. Silvio, ferroviário aposentado.
ACIMA: (Esquerda) Casa de turma, logo após a estação, sentido Alegre; (Direita) Caixa d'água, logo depois da casa de turma, com um "ouxadinho" construído ainda no tempo de Leopoldina (Fotos Ralph Mennucci Giesbrecht, 18/10/2008). ABAIXO: Fim da linha do ramal nos dias de hoje. A poeira branca é pós de granito e mármore, que se carrega no local, daí o trecho além de Morro Grande ter sobrevivido até aí. A ponta dos trilhos, na verdade, fica uns cem metros para a frente e não é vista na foto. Esse ponto final, por sua vez, está situado no máximo a um quilômetro antes da estação de Coutinho, também hoje à beira da rodovia, À esquerda, no alto, a rodovia que liga Cachoeiro a Alegre e Espera Feliz, ou seja, a que sobstituiu a ferrovia. Por um bom trecho, até perto do início da subida da serra, a linha e o antigo leito acompanham a atual rodovia (Foto Ralph Mennucci Giesbrecht, 18/10/2008).


(Fontes: Ralph M. Giesbrecht, pesquisa local; Marcos Farias; Levy Rocha: Crônicas de Cachoeiro; Guia Geral das Estradas de Ferro do Brasil, 1960)
     

A estação de Coutinho ainda com trilhos. Autor e data ignoradas

A estação de Coutinho ainda com trilhos. Autor e data ignoradas

A estação de Coutinho, em 11/2005. Foto Marcos A. Farias

A estação de Coutinho, em 11/2005. Foto Marcos A. Farias

A estação de Coutinho, em 11/2005. Foto Marcos A. Farias

A estação de Coutinho, em 11/2005. Foto Marcos A. Farias

A estação de Coutinho, em 11/2005. Foto Marcos A. Farias

A estação (foto tirada sentido Alegre) em 18/10/2008. Foto Ralph M. Giesbrecht
 
     
Atualização: 22.01.2017
Página elaborada por Ralph Mennucci Giesbrecht.