A B C D E
F G H I JK
L M N O P
Q R S T U
VXY Mogiana em MG
Indice de estações
...
Cândido Froes
Itaperuna
Aré
...

...
ESTIVE NO LOCAL: SIM
ESTIVE NA ESTAÇÃO: SIM
ÚLTIMA VEZ: 2008
...
 
Cia. E. F. Carangola (1881-1890)
Cia. Barão de Araruama (1890)
E. F. Leopoldina (1890-1975)
RFFSA (1975-1977)
ITAPERUNA
(antiga PORTO ALEGRE)
Município de Itaperuna, RJ
Linha de Carangola - km 446,746 (1960)   RJ-0563
    Inauguração: 17.10.1881
Uso atual: demolida   sem trilhos
Data de construção do prédio atual: n/d
 
 
HISTORICO DA LINHA: A Companhia Estrada de Ferro do Carangola foi constituída em 20 de março de 1875. Tinha a concessão para diversas linhas nas Províncias do Rio de Janeiro e do Espírito Santo. Entre essas, o que viria a ser mais tarde a linha de Carangola, incorporado pela Cia. Leopoldina em 1890, foi aberto entre as estações de Murundu e de Santo Antonio do Carangola (Porciúncula) entre os anos de 1878 e 1886. A Linha de Carangola foi extinta pela Refesa em 31/12/1973 no trecho entre Porciúncula e Itaperuna, e em 1/11/1977 no trecho restante.
 
A ESTAÇÃO: A estação de Porto Alegre foi inaugurada em 1881, na fazenda adquirida não muito tempo antes pelo Comendador Cardoso Moreira, fazendeiro e principal acionista da E. F. Carangola, além de grande investidor em obras na região. Era então a estação terminal da linha que vinha de Campos e Murundu, e assim ficou por alguns anos até que fosse definitivamente prolongada até Porciúncula, devido a disputas de interesses entre a E. F. Leopoldina e esta ferrovia no trecho próximo a Carangola. Como é sabido, o trecho entre Murundu e Campos da E. F. Carangola mais tarde tornou-se parte da linha do litoral, sendo denominado de Linha do Carangola o trecho entre Murundu e Porciúncula. até finalmente serem terminadas, alcançando Porciúncula, na linha de Manhuaçu. A ferrovia foi vendida em 1890 para a E. F. Barão de Araruama, que poucos meses depois a

ACIMA: A estação de Itaperuna no centro da cidade, nos anos 1940, com seu pátio ferroviário e alguns vagões estacionados. A paisagem hoje, com a retirada dos trilhos e a estação demolida, é bem diferente (Autor desconhecido. Cessão Edson de Lima Lucas). ABAIXO: Nos anos 1950, a estação e à esquerda na foto o rio Muriaé (Central Foto, Itaperuna, cartão postal circulando em 1957).
repassou para a Leopoldina, embora essa venda apareça como tendo ocorrido em 1888, segundo alguns autores. Tanto a estação quanto a cidade que se formou à sua volta, em 1889 passaram a se chamar Itaperuna, depois de um curto período com o nome de São José do Avaí. Trens de passageiros foram desativados em 1/11/1977, quando a estação foi fechada. Nessa época, o trem

ACIMA: Trilhos no canteiro central, por onde passava a Leopoldina. O cartão postal é dos anos 1970 - o trem ainda passaria na época da foto? (Autor desconhecido).
saía diariamente de Murundu às 8:25 da manhã e chegava em Itaperuna, então estação terminal desde 1973, quando foi suspenso o trecho entre ela e Porciúncula, às 12:08. Às 14:00, o trem partia de volta para Murundu, onde se encontrava com o trem que ia para Niterói. A estação já foi infelizmente demolida, segundo Flávio Lemos, de Itaperuna, em outubro de 2004.
(Fontes: Ralph M. Giesbrecht, pesquisa local; Edson de Lima Lucas; Gilson Costa; Flavio Lemos; Acervo Central Foto, Itaperuna; Edmundo Siqueira: Resumo Histórico da Leopoldina Railway, 1938; Cyro Pessoa Jr.: Estudo Descritivo das Estradas de Ferro do Brasil, 1886; Guia Geral das Estradas de Ferro do Brasil, 1960; Guias Levi, 1932-80)
     

A estação em 1905. O Malho, 9/12/1905

Trem parado na estação de Itaperuna, no início do século XX. Autor desconhecido

A estação nos anos 1950. Foto Gilson Costa
 
     
Atualização: 19.05.2013
Página elaborada por Ralph Mennucci Giesbrecht.