A B C D E
F G H I JK
L M N O P
Q R S T U
VXY Mogiana em MG
Indice de estações
...
Itapemirim
Barra
Marataízes
...
ESTIVE NO LOCAL: NÃO
ESTIVE NA ESTAÇÃO: NÃO
ÚLTIMA VEZ: N/D
...

 
E. F. Itapemirim (1925-c.1965)
BARRA
Município de Marataízes, ES
E. F. do Itapemirim - km 4 (1958)   ES-1850
Altitude: -   Inauguração: 1925
Uso atual: desconhecido   sem trilhos
Data de construção do prédio atual: n/d
 
 
HISTORICO DA LINHA: A E. F. Itapemirim foi construída entre 1910 e 1920, inicialmente entre a estação da Barra, no porto da Barra do Itapemirim e a Usina Paineiras, depois completada até a Praça João Pessoa, em Cachoeiro. A ferrovia derivava de um projeto mais antigo que deveria ligar o porto da Barra a Castelo e Alegre, mais ao norte. Os trechos entre Cachoeiro e Castelo e Coutinho e Rive foram construídos nos anos 1880. O primeiro se transformou na E. F. Caravelas, e parte dele (Coutinho-Castelo) mais tarde foi o ramal de Castelo da Leopoldina. A E. F. Itapemirim, uma das poucas na região a não cair nas mãos da Leopoldina, foi finalmente extinta em meados dos anos 1960, quando já se estendia até a praia de Marataízes, uma estação além da Barra. (O Guia Geral das Estradas de Ferro do Brasil, de 1960, não mostra a relação das estações desta linha. Porém, o Guia Levi de agosto de 1965 ainda apresenta os horários dos trens na linha.)
 

A ESTAÇÃO: O porto da Barra do Itapemirim era um dos mais importantes do Estado do Espírito Santo. Ligava-se a Cachoeiro do Itapemirim pela navegação fluvial no rio Itapemirim. A construção de rodovias e a centralização gradual das cargas da região para os portos de Vitória e do Rio de Janeiro, aliada ao assoreamento da foz do rio Itapemirim, junto ao porto, fizeram com que a ferrovia e a estação da Barra perdessem importância muito rapidamente.

"A estação de Itapemirim foi inaugurada no final da década de 1910. Apesar de ser aí a sede do município, era apenas um ponto de passagem após a inauguração da estação da Barra. Meu pai, Jonas Moraes, foi encarregado de inaugurar as estações terminais da Barra do Itapemirim e de Marataízes, uma ponta de trilho, em 1925. A estação da Barra abrigava as oficinas da ferrovia. Essa era considerada a estação principal. Aí moramos em casa própria, nos cinco primeiros anos da ferrovia, tendo o meu pai como o chefe de tráfego. Somente os agentes da estação moravam em casa anexa à própria estação" (América Moraes Moysés, 11/2005). (Nota do autor do site: América cita as duas estações como terminais e abertas em 1925. Parece que a ferrovia realmente somente chegou a estas duas localidades neste ano e foram abertas uma pouco depois da outra. Vale salientar que, até 1923, seu pai trabalhava na E. F. Vitória-Minas e não na E. F. Itapemirim. Então, a data de 1925 parece ser bastante confiável.)

Foi desativada em meados dos anos 1960.

Com as poucas informações que tenho, a estação da Barra - também chamada de Barra do Itapemirim - permaneceria até hoje em pé. De pé está certamente o prédio das antigas oficinas da linha, como se pode ver pelas fotos abaixo. Estes armazéns estavam em restauração em 2010.

ACIMA: A linha, em foto de c.1957, junto à praia, próxima à estação da Barra (Enciclopédia dos Municípios Brasileiros, IBGE, vol. VI, 1958). ABAIXO: Armazens da Barra, ainda em uso. Note-se os trilhos do ramal que chegava ao Trapiche, onde era feito o transbordo de cargas entre a ferrovia e os barcos no Rio Itapemirim (Autor e date desconhecidos).



ABAIXO: Armazens da Barra, por volta dos anos 2000, já com outros usos (Autor e data desconhecidos).

(Fontes: Gladstone Rubim; Luiz Claudio Vieira Lopes; Victor de Moura; IBGE: Enciclopédia dos Municípios Brasileiros, vol. VI, 1958; Guia Geral das Estradas de Ferro do Brasil, 1960; Guias Levi, 1917-80)

     

A estação da Barra em 1940. Foto de acervo particular

O prédio das oficinas da E. F. Itapemirim ainda de pé, próximo do local da antiga estação. Foto Gladstone Rubim

Ele ainda mantém o dístico onde está escrito: "Oficinas - E. F. Itapemirim - 1937". Foto Gladstone Rubim
 
     
Atualização: 16.11.2016
Página elaborada por Ralph Mennucci Giesbrecht.