A B C D E
F G H I JK
L M N O P
Q R S T U
VXY Mogiana em MG
Indice de estações
...
Vila Inhomerim
Meio da Serra
Alto da Serra
...

...
ESTIVE NO LOCAL: NÃO
ESTIVE NA ESTAÇÃO: NÃO
ÚLTIMA VEZ: S/D
...
 
E. F. Príncipe do Grão Pará (1883-1890)
E. F. Leopoldina (1890-1964)
MEIO DA SERRA
Município de Petrópolis, RJ
Linha do Norte - km 51,738 (1960)   RJ-1950
Altitude: 333 m   Inauguração: 20.02.1883
Uso atual: moradia   sem trilhos
Data de construção do prédio atual: 1883?
 
 
HISTORICO DA LINHA: A linha que unia o centro do Rio de Janeiro a Petrópolis e Três Rios foi construída por empresas diferentes em tempos diferentes. Uma pequena parte dela é a mais antiga do Brasil, construída pelo Barão de Mauá em 1854 e que unia o porto de Mauá (Guia de Pacobaíba) à estação de Raiz da Serra (Vila Inhomerim). O trecho entre esta última e a estação de Piabetá foi incorporada pela E. F. Príncipe do Grão Pará, que construiu o prolongamento até Petrópolis e Areal entre os anos de 1883 e 1886. Finalmente a estação de Areal foi unida à de Três Rios em 1900, já pela Leopoldina. Finalmente, o trecho entre o a estação de São Francisco Xavier, na Central do Brasil, e Piabetá foi entregue entre 1886 e 1888 pela chamada E. F. Norte, que neste último ano foi comprada pela R. J. Northern Railway. Finalmente, em 1890, a linha toda passou para o controle da Leopoldina. Em 1926 a linha foi estendida finalmente até a estação de Barão de Mauá, aberta nesse ano, eliminando-se a baldeação em São Francisco Xavier. O trecho entre Vila Inhomerim e Três Rios foi suprimido em 5 de novembro de 1964. Segue operando para trens metropolitanos todo o trecho entre o centro do Rio de Janeiro e Vila Inhomerim.
 
A ESTAÇÃO: A estação do Meio da Serra ficava, como o nome diz, na metade do trecho da serra de Petrópolis. Foi inaugurada em 1883, e nela o trem somente parava se houvesse passageiros para

ACIMA: A estação de Meio da Serra, por volta de 1900. As locomotivas Baldwin já ostentam as iniciais "L. R.", da Leopoldina Railway inglesa, formada em 1897. Os desvios para baixo, no plano, encaminhavam-se para a fábrica de tecidos 'Cometa" (Acervo Marcelo Lordeiro). ABAIXO: Ponte da linha entre as estações de Meio da Serra e de Alto da Serra, em junho de 2010 (Foto Ricardo Matos).

subir ou descer. Foi desativada com a linha, em 5 de novembro de 1964, e o prédio sobreviveu, favelizado e descaracterizado. "Meio da Serra, localizada no bairro de mesmo nome, bem na divisa entre os municípios de Magé e Petrópolis, tendo como divisa a estrada de rodagem, a antiga Rio-Petrópolis, hoje chamada de Estrada Velha da Estrela. A estação está localizada em plena

Em 1939, três anos depois da Revolução Integralista, a estação de Meio da Serra serviu como centro de agitação: "os elementos integralistas organizaram na estação de Meio da Serra varias reuniões secretas, as quaes foram suspeitadas pelos investigadores do posto da delegacia de Ordem Politica e Social em Petropolis (...) Em uma residencia da referida estação, na noite de ante-hontem, foram descobertos os agitadores. Com todo o cuidado os policiaes fizeram pesado cerco, mas, mesmo assim, foram pressentidos pelos integralistas, que se puzeram em debandada. Apesar da rapidez com que fugiram, os invetigadores conseguiram deter innumeros operarios e os conhecidos integralistas Mario Salgado e Hermenegildo Kasensky" (Folha da Manhã, SP, 27/1/1939).

rampa íngreme. Também está descaracterizada, pois construíram um "puxadinho", fizeram janelas no meio dos dísticos e construíram um muro na borda da plataforma. Veja como ela parece "desenhada" no muro, ela e a rampa de acesso. Triste fim. Ali é o que se chama de "bairro bimunicipal", pois são dois bairros (dois municípios cortados por uma estrada) que se comportam como um
só. Quem passa por ali vê um lugar homogêneo. De lá se tem uma bela vista para a Baía de Guanabara e arredores. Eu desci do Alto da Serra até o Meio pelo antigo leito da ferrovia, que está muito

ACIMA: A estação, provavelmente anos 1940 (Acervo Museu Imperial de Petropolis).
descaracterizado, sem nenhum vestígio da linha. Só as pontes denunciam sua antiga existência. Depois do Meio da Serra, não consegui mais seguir pelo leito, por eu não saber direito a localização e também por ele, do Meio para baixo, estar dentro de áreas particulares
" (Julio Cesar da Silva, 15/1/2010). Havia por ali a Fábrica de Tecidos Cometa, que possuía linha ferroviária própria, com acesso pouco depois da estação Meio da Serra. A fábrica ainda tem suas ruínas e chaminés visíveis no meio da mata. (Veja video da estação em 1920)
(Fontes: Jorge Alves Ferreira; Ricardo Matos; Julio Cesar da Silva; Carlos Latuff; Eduardo Coelho; Marcelo Lordeiro; Folha da Manhã, SP, 1939; Revista da Semana, 1926; Guia Geral das Estradas de Ferro do Brasil, 1960; Guias Levi, 1932-80; Mapa - acervo R. M. Giesbrecht)
     

A estação original de Meio da Serra, provavelmente ao redor de 1900. Autor desconhecido

Próximo à estação de Meio da Serra, em 1926: o cruzamento da ferrovia com a rodovia Rio-Petrópolis, vendo-se o trem subindo a serra. Foto Revista da Semana, 1926

Pátio de Meio da Serra, sem data. Nenhuma dessas casas deve ser a estação, mas sim casas da vila. Cessão Jorge A. Ferreira

Estação de Meio da Serra, sem data. Foto da Coleção Eduardo Coelho

Estação Meio da Serra em 2002. Notem no dístico, hoje cortado pela janela, o antigo nome. Foto Carlos Latuff

Estação Meio da Serra em 2002. Foto Carlos Latuff


A estação em 10/1/2010. Foto Julio Cesar da Silva
 
     
Atualização: 01.03.2014
Página elaborada por Ralph Mennucci Giesbrecht.