A B C D E
F G H I JK
L M N O P
Q R S T U
VXY Mogiana em MG

Indice de estações
...
(1950)
Fundão
Pedro Palacios
Aricanga
...
(2004)
Fundão
Pedro Palacios
Aricanga
...
ESTIVE NO LOCAL: NÃO
ESTIVE NA ESTAÇÃO: NÃO
ÚLTIMA VEZ: S/D
...

 
E. F. Vitória a Minas (1945-?)
PEDRO PALÁCIOS
Município de Ibiraçu, ES
EFVM - km 60 (1960)   ES-2194
Altitude: 51 m   Inauguração: 05.10.1947
Uso atual: demolida   sem trilhos
Data de construção do prédio atual: prov. 1947 (já demolido)
 
 
HISTORICO DA LINHA: A E. F. Vitoria a Minas foi aberta em 1904 num pequeno trecho a partir do porto de Vitória e tinha como objetivo principal transportar as culturas da região ao longo do Rio Doce, especialmente a produção de café. Com enormes dificuldades ela foi avançando no sentido da cidade mineira de Diamantina; em 1910, empresários ingleses a compraram para eletrificá-la e transportar minério da região de Itabira. O seu objetivo pasava a ser agora atingir Itabira e se encontrar com a futura linha da EFCB que partindo de Sabará atingiria São José da Lagoa (Nova Era). Em 1919 o empresário americano Percival Farquhar a comprou e depois de inúmeras reviravoltas políticas, a estrada, afinal nunca eletrificada, foi encampada pela recém-fundada Cia. Vale do Rio Doce (CVRD) em 1942, a qual maneja a ferrovia até hoje. Modernizou-a nos anos 1940, alterando o traçado acidentado na região de Vitória, isto depois de a linha ter finalmente se ligado à EFCB em Nova Era em 1937, Em 2002, o antigo ramal de Nova Era foi totalmente modificado e a EFVM passou a comandar a linha desde Vitória até a região de Belo Horizonte, depois de passar por Itabira, região do minério de ferro. É a ferrovia mais rentável do Brasil e uma das pouquíssimas ferrovias a manter no País até hoje os trens de passageiros.
 
A ESTAÇÃO: A estação de Pedro Palacios foi inaugurada em 1947. Seu nome deriva do de um frei do século XVI que construiu o convento da Penha em Vila Velha, ES.

Depois de uma retificação de linha, ficou fora dos trilhos e acabou demolida. Conta-se que nos anos 1970 teria havido um atentado nesta estação; logo depois, ela teria sido abandonada.

(Fontes: Luiz Claudio Vieira Lopes; Altair Malacarne; Guilherme Camilo Souza; IBGE: Enciclopédia dos Municípios Brasileiros, vol. VI, 1958; Guia Geral das Estradas de Ferro do Brasil, 1960)
     

A estação em 1971. Cessão Guilherme Camilo Souza

Plataforma da estação foi o que sobrou em 2016. Foto Luiz Claudio Vieira Lopes
 
     
     
Atualização: 02.02.2017
Página elaborada por Ralph Mennucci Giesbrecht.