A B C D E
F G H I JK
L M N O P
Q R S T U
VXY Mogiana em MG
...
Mairinque
Guaianã
Cangüera
...

Mairinque-Santos - 1937

Geomapas - 1990
...
ESTIVE NO LOCAL: NÃO
ESTIVE NA ESTAÇÃO: NÃO
ÚLTIMA VEZ: N/D
...
 
E. F. Sorocabana (1930-1971)
FEPASA (1971-1985)
GUAIANÃ
Município de Mairinque, SP
Mairinque-Santos - km 5,380 (1937)   SP-1556
    Inauguração: 25.01.1930
Uso atual: demolida   sem trilhos
Data de construção do prédio atual: n/d (já demolido)
 
 
HISTORICO DA LINHA: Projetada desde 1889, a Mairinque-Santos, linha que quebraria o monopólio da SPR para ligar o interior ao litoral foi iniciada em 1929 e terminada em 1937, com a ligação das duas frentes, uma vindo de Santos e outra de Mairinque. É uma das obras ferroviárias mais reportadas por livros no Brasil. Já havia, no entanto, tráfego desde 1930 nas duas partes, e o trecho desde Santos até Samaritá havia sido adquirido em 1927 da Southern São Paulo Railway, operante desde 1913. Com o fim da Sorocabana e a criação da Fepasa, em 1971, a linha foi prolongada até Boa Vista, no fim dos anos 80 (retificação do antigo ramal de Campinas). Houve tráfego de passageiros entre Mairinque e Santos até cerca de 1975, e mais tarde entre Embu-Guaçu e Santos, até novembro de 1997. A linha opera até hoje sob a administração da Ferroban.
 
A ESTAÇÃO: A estação de Guaianã foi inaugurada como uma construção de madeira no início de 1930, como parte do primeiro trecho da Mairinque-Santos, com 10,357 km. Alguns anos mais tarde, construiu-se um prédio de alvenaria. Em 1934, foi classificada como posto telegráfico de categoria A (*). "Como meu pai foi agente dessa estação na década inteira de 1940. Tenho algumas fotos em meus arquivos, já que passei toda a minha infância nela. Era uma estação boa, não tínhamos luz elétrica, usávamos lampiões a querosene, lanternas a base de carbureto e um lampião chamado na época de Petromax, idêntico aos atuais a gás. Tínhamos água encanada e esgoto perfeito, com banheiros limpos, tanto o nosso na casa como o para o público, que oferecíamos para os alunos da escola da qual aparece o telhado numa da fotos, já que a escola tinha um banheiro precário e não tinha água" (Wanderley Guevara Fernandes, 30/4/2009). Com a

ACIMA: A estação e os jardins ao lado, nos anos 1940 (Acervo Wanderley Guevara Fernandes)
abertura da variante Boa Vista-Guaianã, em 1985, o traçado foi alterado, fazendo-se necessária a construção de uma nova estação em um ponto diferente, abandonando-se a antiga. O prédio velho foi demolido e hoje os restos de sua plataforma ficam na linha original, que naquele trecho foi transformada em desvio para a fábrica da Cargill. (VEJA TAMBÉM GUAIANÃ-NOVA)

* Segundo o Relatório Anual de 1934 da EFS, "À categoria A ficaram pertencendo os diversos postos que funccionavam como si fossem estações de 4a classe, isto é, onde, além do serviço de trens, havia venda de bilhetes, despachos de encommendas, bagagens, mercadorias, animaes, valores e serviços telegraphico, em trafego proprio e mutuo, com os fretes calculados pela propria distancia".

(Fontes: Antonio Carreão; Wanderley Guevara Fernandes; E. F. Sorocabana: Relatórios anuais, 1900-69; Geomapas, 1990; Mapas - acervo R. M. Giesbrecht)
     

A estação nos anos 1940. Acervo Wanderley Guevara Fernandes

A estação nos anos 1940. Acervo Wanderley Guevara Fernandes

Restos da plataforma, à esquerda da linha. Foto Antonio Carreão, em 09/2004
     
     
Atualização: 18.05.2013
Página elaborada por Ralph Mennucci Giesbrecht.