A B C D E
F G H I JK
L M N O P
Q R S T U
VXY Mogiana em MG
...
Casa Branca
Itobi
Engenheiro Röhe
...

ramal de Mococa-1935
...
ESTIVE NO LOCAL: SIM
ESTIVE NA ESTAÇÃO: SIM
ÚLTIMA VEZ: 2004
...
 
Cia. Ramal Férreo do Rio Pardo (1887-1888)
Cia. Mogiana de Estradas de Ferro (1888-1971)
FEPASA (1971-c.1992)
ITOBI
(antiga RIO DOCE e RIO VERDE)
Município de Itobi, SP
Ramal de Mococa - km 13,564   SP-2142
Altitude: 652 m   Inauguração: 27.08.1887
Uso atual: Polícia Militar e biblioteca (2008)   sem trilhos
Data de construção do prédio atual: 1896
 
 
HISTORICO DA LINHA: O ramal teve origem na Cia. Ramal Férreo do Rio Pardo, empresa particular aberta em 1884 entre Casa Branca e São José do Rio Pardo, e adquirida em junho de 1888 pela Cia. Mogiana, que a transformou no ramal de Mococa, prolongando os seus trilhos em 1890 para atingir Canoas, estação 11 km à frente de Mococa e terminal do ramal. A partir de 1903, da estação de Ribeiro do Vale passou a sair o ramal de Guaxupé, que seguia até essa cidade. Em 1961, o trecho final do ramal entre Mococa e Canoas foi extinto, e em 7/11/1966, o trecho entre Ribeiro do Vale e Mococa também o foi. O que sobrou do ramal, de Casa Branca até Ribeiro do Vale, passou a fazer parte do ramal de Guaxupé e operou até 1977, quando a queda de uma ponte entre S. J. Rio Pardo e Ribeiro do Valle interditaram definitivamente a linha. Em 1986 o trecho entre Casa Branca e S. J. Rio Pardo foi reativado por um curtíssimo espaço de tempo. Por volta de 1992 os trilhos foram retirados.
 
A ESTAÇÃO: "No caso do Ramal Férreo podemos registrar, um aspecto importante: o aparecimento da cidade de Itobi a 16 Km de Rio Pardo que surgiu a partir de um acampamento de "peões" contratados pelo português Antônio Martins Daniel, responsável pelo fornecimento de dormentes para o ramal. Ali, ao redor de

TRENS - Os trens de passageiros pararam nesta estação de 1887 a 1977. Na foto à esquerda, o trem do ramal está chegando em Itobi em 1972. Clique sobre a foto para ver mais detalhes sobre esses trens. Veja aqui horários em 1948 e em 1968 (Guias Levi).
dois ranchos construídos pelo português, foram surgindo as primeiras casas de moradia e um armazém comercial. A evolução do pequeno povoado para vila se deu com a construção da Estação do Rio Doce". A estação de Rio Doce foi inaugurada em 1887 pela Cia. Ramal Férreo do Rio Pardo, com esse nome por causa do rio Doce, ali próximo; esta estação, inaugurada ainda pela velha ferroviazinha em 27/08/1887, não tinha nem sequer um prédio construído, e foi extinta em meados de 1888, logo após a Mogiana ter comprado a ferrovia e tê-la transformado no ramal do Rio Pardo. Logo depois, a Mogiana inaugurou a estação de Rio Verde, próxima ao ponto da velha Rio Doce, mas agora com o nome
ACIMA: Acidente ferroviário com um trem de passageiros no ramal, entre as estações de Itobi e de Engenheiro Röhe em 27 de março de 1922. (A Cigarra, 1/4/1922).

ACIMA: O trem com as cores amarela e azul da Mogiana chega de São José do Rio Pardo em Itobi. Na época, 1973, já era a Fepasa. O trem, pobrinho, só com um carro de passageiros, estava próximo do fim (Acervo Marilia C. C. Coltri). ABAIXO: Esquema do pátio de Itobi em novembro de 1968 (Clique sobre a figura para ter maiores informações) (Acervo Museu da Companhia Paulista, Jundiaí, SP - Reprodução Caio Burghi).
de outro córrego que passa hoje na entrada da cidade. Somente oito anos depois, a Mogiana construiu o prédio definitivo da estação nova para a vila nascente, que, em 1898, atendendo a pedidos dos moradores da vila, foi renomeada como Itobi, que, em tupi, também significa Rio Verde. O ramal foi, em 1890, prolongado até Mococa, Em 1959, Itobi separou-se de Casa Branca, tornando-se município autônomo. Em 1966, o ramal de Mococa foi

ACIMA: Trilhos em Itobi, capinados para receber o trem de Franco Montoro em 1986 até São José do Rio Pardo: a volta do trem de passageiros tão esperada fez apenas uma viagem, ao contrário das promessas da FEPASA (Autor desconhecido).
desativado, a partir da estação de Ribeiro do Valle, mas o trecho que ia até Guaxupé, partindo dessa estação, foi mantido até meados dos anos 1970, quando também foi desativado. A estação, agora parte do ramal de Guaxupé, acabou por ser desativada e posteriormente invadida. Em 1986, o trecho até São José foi reativado, com festas e tudo o mais, o que não alterou o abandono da estação. Logo depois, entretanto, veio a desativação definitiva, e os trilhos foram retirados no início dos anos 1990. A estação acabou por ser reformada, e em 2008 funcionava como biblioteca e vomo sede da Polícia Militar na cidade.
(Fontes: Ralph M. Giesbrecht, pesquisa local; Marilia C. C. Coltri; Wilson de Santis Jr; Rossana Romualdo; Leonardo Patara; Cia. Mogiana: relatórios anuais, 1875-1969; A Cigarra, 1/4/1922; Museu da Companhia Paulista, Jundiaí, SP; Caio Bourg; Guia Geral das Estradas de Ferro do Brasil, 1960; Guias Levi, 1932-79; Mapa - acervo R. M. Giesbrecht)
     

A estação vista da praça, em 1969. Foto cedida por Marilia C. C. Coltri

Ao lado da estação, em 1969. Foto cedida por Marilia C. C. Coltri

.
A entrada do pátio de Itobi, vista do lado de Casa Branca, em 1973. A estação está ao fundo, à direita. Foto cedida por Marilia C. C. Coltri


A estação, em 25/04/1999. Foto Ralph M. Giesbrecht

A estação de Itobi, em 25/04/1999. Foto Ralph M. Giesbrecht

A estação em janeiro de 2001. Foto Wilson
de Santis Jr

A estação de Itobi, em 07/2001. Foto Rossana Romualdo

Plataforma da estação em agosto de 2008. Foto Leonardo Patara
 
     
Atualização: 28.04.2014
Página elaborada por Ralph Mennucci Giesbrecht.