A B C D E
F G H I JK
L M N O P
Q R S T U
VXY Mogiana em MG
...
Alfredo Guedes
Lençóis
Virgílio Rocha
...

ramal de Bauru-1935

IBGE - 1973
...
ESTIVE NO LOCAL: SIM
ESTIVE NA ESTAÇÃO: SIM
ÚLTIMA VEZ: 2002
...
 
Cia. União Sorocabana e Ytuana (1898-1907)
Sorocabana Railway (1907-1919)
E. F. Sorocabana (1919-1971)
FEPASA (1971-1998)
LENÇÓIS PAULISTA
(antiga LENÇÓIS e UBIRAMA)
Município de Lençóis Paulista, SP
Ramal de Bauru - km 383,624 (1924); km 371,649 (1934); km 343,373 (1960)   SP-0460
Altitude: 535 m   Inauguração: 28.11.1898
Uso atual: sede de ONG (2006)   com trilhos
Data de construção do prédio atual: 1938
(*) As quilometragens foram alteradas em 1928, devido às retificações feitas entre São Paulo e Iperó neste ano e em 1953, (**) devido às retificações feitas entre Conchas e Manduri neste ano.
 
HISTORICO DA LINHA: O ramal de Bauru teve origem na linha da Cia. Ituana (ramal de São Manuel) que saía de Porto Martins, no rio Tietê, que recebia os barcos da navegação fluvial da ferrovia, e chegava até São Manuel, em 1888. Quando a Ituana foi fundida com a Sorocabana para formar a CUSY, esta alterou radicalmente o ramal de São Manuel, usando parte dela para fazer uma linha que ligava a estação de Capão Bonito (mais tarde Rubião Júnior), logo após Botucatu, visando chegar à nascente e próspera cidade de Bauru. Outra parte se tornou o curto ramal de Porto Martins-Araquá. A linha chegou a Bauru em 1905. O agora ramal de Bauru sobreviveu até hoje, com algumas retificações feitas nos anos 60, unindo as linhas da Paulista, da Noroeste e a linha-tronco da Sorocabana. Em 1976, o trem de passageiros foi suprimido na linha, mas os trens de carga mantém-na ativa até hoje.
 
ANO Total de passageiros embarcados
1906 9.234
1917 11.519
1918 11.974
1922 37.568
1934 20.126
1942 14.727
1943 13.832
1944 14.528
1945 14.570
1951 26.819
A ESTAÇÃO: Os relatórios da Cia. União Sorocabana e Ytuana não são claros quanto à inauguração da estação de Lençóis. Eles falam na abertura da estação de Porto Lençóis em 1897, mas não deixam claro se é a do porto no rio Tietê ou se é alguma estação provisória. Algumas literaturas posteriores falam na inauguração da estação em 28.11.1898. O intendente municipal, nesse ano, o Major Octaviano Martins Brisola, solicitou da Câmara a aprovação de uma verba de 500$000 para os festejos de inauguração. Com a gare enfeitada e banda de música, as autoridades e o povo em geral, no dia dessa inauguração, todos se acotovelaram na plataforma para esperar a composição oficial, juntamente com o Sr. João Baccilli, empreiteiro e construtor do prédio. O primeiro trem, entretanto, havia chegado três meses antes, em 29 de agosto, carregado de trilhos e madeiras para a construção da linha e pátio.

Segundo relatórios da CUS&Y, o prédio da estação somente foi terminado em 1900. Historiadores também afirmam que a estação deveria ter sido construída em outro local e por pressão dos políticos teve o seu local transferido para onde foi efetivamente construída.

Em 1938, foi entregue o prédio atual. O prédio original foi mantido com outras funções, a poucos metros do atual, e até hoje segue em pé.

No final dos anos 1940, a cidade e a estação tiveram o nome alterado para Lençóis Paulista. Antes, porém, em 1944, ambos tiveram o nome de Ubirama.

Em 1999, a estação estava ainda funcionando precariamente, com um chefe, e o prédio mal conservado, com inúmeras infiltrações na cobertura de concreto da plataforma. Também havia dois funcionários da manutenção da via permanente da Ferroban, cuidando do mato nos trilhos. Havia vagões no pátio.

"Estive hoje em Lençóis. Ao passar em frente à estação vi uma placa anunciando o seu restauro. Conversei com um vigia do local. Ele adiantou que a igreja católica local está usando as dependências do prédio para distribuição de cestas básicas e que a prefeitura está procurando parceria, distribuindo panfletos à população para angariar fundos. Saí um pouco mais feliz do local" (Adriano Martins, 26/10/2003).

A estação, reformada, era hoje sede em 2006 de uma ONG. "A estação de Lençóis Paulista foi reformada e reinaugurada há poucos dias. A linha está em operação, mas não há serviços de embarque. Vale registrar que foi empreendido um trabalho valoroso de restauração do prédio da estação" (Fábio Henrique Frezza, 26/12/2006).
ACIMA: Noticia da inauguração do trecho do ramal de Bauru em Lençois em 1898 - CLIQUE SOBRE A NOTICIA PARA VE-LA INTEIRA (Gazeta de Noticias, 10/9/1898).

OBRAS OCORRIDAS NA ESTAÇÃO E SEU PÁTIO DE ACORDO COM RELATÓRIOS DA EFS: 1934 - Construção de casa de madeira para guarda-fios


ACIMA: A estação recém-construida. Foto possivelmente do final dos anos 1930 (Autor desconhecido).

ACIMA: A chegada do General Pietro Badoglio, do Exercito Italiano, em Lençóis, em 1924, em visita à colônia italiana (Acervo Alexandre Chitto). ABAIXO: A estação vista da cidade. Pode-se notar ainda o armazem (à direita, atrás da plataforma), uma casa da ferrovia (à esquerda, somente com o telhado por sobre as árvores e a linha, onde os trens teimam em passar! (Foto Adriano Martins, dezembro de 2008).

TRENS - De acordo com os guias de horários, os trens de passageiros pararam nesta estação entre 1898 e 1976. Ao lado, um destes trens está parado na plataforma da estação de Agudos, em 1927. Clique sobre a foto para ver mais detalhes sobre esses trens. Veja aqui horários em 1958 (Guias Levi).

ACIMA: A linha vermelha indica o traçado da linha férrea original de Lençóis Paulista. A modificação para a liha atual (em diagonal no mapa) foi feita nos anos 1950-60. A estação permaneceu no mesmo local (Google Maps, 2015 - diagrama Adriano Martins). ABAIXO: A linha como era em 1945 (Arquivo do Estado de São Paulo).

(Fontes: Ralph M. Giesbrecht, pesquisa local; Adriano Martins; Rafael Ramponi; Nilton José Gallo; Fabio Henrique Frezza; José H. Bellorio; Acervo Família Chitto; Arquivo do Estado de São Paulo; Sorocabana: relatórios anuais, 1892-1969; da Cia. Ytuana: relatórios anuais, 1873-1891; IBGE, 1973; Guia Geral das Estradas de Ferro do Brasil, 1960; mapa - acervo R. M. Giesbrecht)
     

A primeira estação de Lençóis no dia da chegada do primeiro trem, em 1898. Acervo Família Chitto

A estação em 1989, ainda limpinha. Foto Adriano Martins

Plataforma de embarque em 1989. A placa não mais existe. Foto Adriano Martins

A estação velha, ainda de pé, em 1989. (Compare com a foto acima desta de 1898). Foto Nilton José Gallo

A estação de Lençóis, em 20/05/1999. Foto Ralph M. Giesbrecht

A estação de Lençóis, lado da plataforma, em 20/05/1999. Foto Ralph M. Giesbrecht

Plataforma da estação em 23/03/2001. Foto José H. Bellorio

Fachada da estação em 23/03/2001. Foto José H. Bellorio

Fachada da estação em 23/03/2001. Foto José H. Bellorio

Plataforma da estação em 23/03/2001. Foto José H. Bellorio

Sobre a porta de entrada da estação de Lençóis, o vitral mostra o trem saindo de um túnel. Foto, em 2002, de Adriano Martins

A estação antes da restauração, em 2006. Foto Fábio Henrique Frezza


Foto panorâmica da estação, por Adriano Martins em 4/2010

A estação vista do céu. Foto Rafael Ramponi em março de 2015
 
     
Atualização: 13.11.2016
Página elaborada por Ralph Mennucci Giesbrecht.