A B C D E
F G H I JK
L M N O P
Q R S T U
VXY Mogiana em MG
...
(1925-1947):
Quilômetro 75
Pirajuí
...
(1947-2002):
Quilômetro 75
Pirajuí
Toledo Piza
...

Tronco NOB - 1935

IBGE-1973
...
ESTIVE NO LOCAL: SIM
ESTIVE NA ESTAÇÃO: SIM
ÚLTIMA VEZ: 2010
...
 
E. F. Noroeste do Brasil (1948-1975)
RFFSA (1975-1996)
PIRAJUÍ
Município de Pirajuí, SP
Linha-tronco - km 73,607 (1960)   SP-0788
Altitude: 472 m   Inauguração: 08.09.1948
Uso atual: abandonada (2018)   com trilhos
Data de construção do prédio atual: 1949
 
 
HISTORICO DA LINHA: A Estrada de Ferro Noroeste do Brasil foi aberta em 1906, seguindo a partir de Bauru, onde a Sorocabana havia chegado em 1905, até Presidente Alves, em setembro de 1906. Em janeiro de 1907 atingia Lauro Müller, em 1908 Araçatuba e em 1910 atingia as margens do rio Paraná, em Jupiá, de onde atravessaria o rio, de início com balsas, para chegar a Corumbá, na divisa com a Bolívia, anos depois. O trecho entre Araçatuba e Jupiá, que até 1937 costeava o rio Tietê em região infestada de malária, foi substituído nesse ano por uma variante que passou a ser parte do tronco principal, enquanto a linha velha se tornava o ramal de Lussanvira. Em 1957, a Noroeste passou a fazer parte da RFFSA. Transportou passageiros até cerca de 1995, quando esse transporte foi suprimido. Em 1996, a RFFSA deu a concessão da linha para a Novoeste, que transporta cargas até hoje.
 
A ESTAÇÃO: A estação original de Pirajuí foi inaugurada em 1925 como ponta e única estação do ramal de Pirajuí. O ramal foi construído devido aos esforços e também investimento financeiro da Prefeitura da cidade. Este seria o trecho inicial de apenas dez quilômetros de um ramal que, saindo do km 75 da linha-tronco, no posto km 75, deveria cruzar o Tietê e chegar a Novo Horizonte, com 90 km de trilhos. O prolongamento nunca seguiu adiante.

Pouco mais de vinte anos depois, a Noroeste decidiu integrar a estação ao tronco, e, em 1948, entregou a nova estação já na linha-tronco. Essa retificação - também um investimento da prefeitura - alterou logicamente o traçado da linha, mas manteve a maioria das estações, inclusive o posto que dava início ao ramal extinto. O traçado novo passou a ir do posto do km 75 até a estação de Guarantã, passando por Pirajuí.

A linha nova aberta em 8 de setembro de 1948 - a estação nova teve sua construção iniciada somente em março de 1949 e enquanto não estava pronta, a velha seguia sendo utilizada precariamente através provavelmente de um curto desvio para se chegar até ela, que foi construída no limite da área urbana de então, aliás, além dele.

Com grande movimento nos tempos áureos, a "nova" estação estava abandonada e parcialmente depredada em 2010, mas mantendo seus desvios ainda com alguns carros estacionados.

Em 2018, junto à estação, abandonada e depredada, por incrível que possa parecer, existe um bairro relativamente nobre da cidade, mas que, para ser atingido, ainda atravessa o vale de um pequeno rio que separa a cidade original da nova estação e do bairro.

(Veja também PIRAJUÍ-RAMAL)


ACIMA: Funcionários em frente à fachada da estação de Pirajuí, ainda em plena atividade, posando em 1975 (O Avaiense, edição de junho de 2008). ABAIXO: Grave acidente de trem - uma composição de 96 vagões - da concessionária Novoeste em 1998 acabou com a gare já então abandonada da estação de Pirajuí (Foto de jornal da época, provavelmente de Bauru - Autor desconhecido).

(Fontes: Ralph M. Giesbrecht, pesquisa local; Silvio Rizzo; José H. Bellorio; Daniel Gentili; O Avaiense, 2008; Folha da Manhã, 1948; Guia Geral das Estradas de Ferro do Brasil, 1960; IBGE, 1973; Mapa - acervo R. M. Giesbrecht)
     

A estação de Pirajuí em 1948, às vésperas da inauguração do novo prédio, agora no tronco. Foto cedida por José H. Bellorio

O saudoso trem de passageiros da Noroeste chega à estação, c. 1995. Foto José H. Bellorio

Entrada da plataforma da estação, c. 1995. Foto José H. Bellorio

Fachada da estação, em 02/2001. Foto José H. Bellorio

Placa da estação, em 02/2001. Foto José H. Bellorio

A estação, vista ao fundo, em 02/2001. Foto José H. Bellorio

A fachada da estação em 14/4/2009. Foto Daniel Gentili

O lado da plataforma sem a cobertura em 14/4/2009. Foto Daniel Gentili

Aestação em 28/11/2017. Foto Silvio Rizzo
     
Atualização: 21.01.2018
Página elaborada por Ralph Mennucci Giesbrecht.