A B C D E
F G H I JK
L M N O P
Q R S T U
VXY Mogiana em MG
Indice de estações
...
Mossoró
Dix-Sept Rosado
Caraúbas
...

Linha de Mossoró-1940
...
ESTIVE NO LOCAL: NÃO
ESTIVE NA ESTAÇÃO: NÃO
ÚLTIMA VEZ: N/D
...
 
E. F. Mossoró-Souza (1926-1950)
Rede Ferroviária do Nordeste (1950-1975)
RFFSA (1975-1997)
DIX-SEPT ROSADO
(antiga SÃO SEBASTIÃO)
Município de Governador Dix-Sept Rosado, RN
E. F. Mossoró-Souza - km 77 (1960)   RN-3241
    Inauguração: 01.11.1926
Uso atual: desconhecido   com trilhos
Data de construção do prédio atual: n/d
 
 
HISTORICO DA LINHA: A E. F. Mossoró-Souza foi inaugurada em 1915 entre Porto Franco e a cidade de Mossoró, com o objetivo de se alcançar a cidade de Alexandria, na divisa do Rio Grande do Norte com a Paraíba. Após muitos adiamentos, o prolongamento da linha foi saindo aos poucos, em 1926 a São Sebastião e somente em 1951 a Alexandria. Por volta de 1958 chegou a Souza, encontrando-se com a linha Recife-Fortaleza nessa cidade. Nos anos 1980, a ferrovia foi desativada e seus trilhos arrancados em praticamente todo o percurso.
 
A ESTAÇÃO: A estação de Dix-Sept Rosado, ou Governador Dix-Sept Rosado, tinha o nome original de São Sebastião. No início dos anos 1930, foi invadida por Lampião e seu bando. Os trens no ramal aparecem com trens de passageiros nos guias até 1979, mas é possível que eles tenham andado de fato alguns anos mais. "Em 1927 (ou fins de 1926 - nota do autor), os trilhos da ferrovia

ACIMA: A linha da E. F. Mossoró-Souza passa pelo município de Mossoró nos anos 1950. A estação de Dix-Sept Rosado está bem ao sul e ainda pertencia a Mossoró (IBGE: Enciclopedia dos Municípios Brasileiros, vol. V, 1960).

TRENS - De acordo com os guias de horários e outras fontes, os trens de passageiros pararam nesta estação de 1926 a 1991. Ao lado, o trem em Patu nos anos 1970. Clique sobre a foto para ver mais detalhes sobre o ramal. Veja aqui horários em 1960 e em 1978 (Guias Levi).
chegavam a São Sebastião (hoje Governador Dix-Sept Rosado), viabilizando a exploração de uma das maiores jazidas de gipsita do Brasil" (Tomislav R. Femenick, "Havia duas, não há nenhuma e estamos fora", Jornal de Hoje, Natal, RN, 24/11/2003). Em 2008, parecia estar bem conservada, pelo menos externamente. Apesar da vista dos trilhos no pátio, a linha não segue: na saída dele, o asfalto a cobre (ver fotos abaixo de 2009).
(Fontes: Walter Leite; Paulo Martins; Adriano Perazzo; Jonatas Rodrigues; Geraldo Santos; Jornal de Hoje, Natal, RN, 2003; Tomislav R. Femenick: Havia duas, não há nenhuma e estamos fora, 2003; A. A. Araújo e L .R. Bonfim: Lampião e a Maria Fumaça, 2004; Cronologia Mossoroense; Guia Geral das Estradas de Ferro do Brasil, 1960; Mapa - acervo R. M. Giesbrecht)
     

A estação em 2002. Do livro Lampião e a Maria Fumaça, de A. A. Araújo e L .R. Bonfim

A estação em 12/2008. Foto Geraldo Santos

A estação em 6/2009. Foto Walter Leite

A estação em 6/2009. Foto Paulo Martins
     
Atualização: 13.07.2013
Página elaborada por Ralph Mennucci Giesbrecht.