A B C D E
F G H I JK
L M N O P
Q R S T U
VXY Mogiana em MG
Indice de estações
...
Viadutos
Gaurama
Balisa
...
Mapa da linha - 1940
...
ESTIVE NO LOCAL: NÃO
ESTIVE NA ESTAÇÃO: NÃO
ÚLTIMA VEZ: S/D
...
 
Cie. Auxiliaire des Chemins de Fer au Brésil (1910-1920)
V. F. Rio Grande do Sul (1920-1975)
RFFSA (1975-1996)
GAURAMA (antiga VILA BARRO)
Município de Gaurama, RS
Linha Marcelino Ramos-Santa Maria - km 41,755 (1960)   RS-2200
Altitude: 755 m   Inauguração: 30.08.1910
Uso atual: museu (2016)   com trilhos
Data de construção do prédio atual: n/d
 
 
HISTORICO DA LINHA: A linha unindo Marcelino Ramos e Santa Maria foi idealizada em 1889 juntamente com todo o trecho entre Itararé, SP, e Santa Maria, RS, pelo engenheiro Teixeira Soares, visando a ligação ferroviária do Rio de Janeiro e São Paulo com o sul do País e também a colonização de boa parte do percurso, locais ainda virgens. A parte correspondente ao Estado do Rio Grande do Sul acabou sendo construída separadamente do restante do trecho (que seria chamado de linha Itararé-Uruguai) e entregue em 1894 à Cie. Sud Ouest Brésilien, e em 1907 cedida à Cie. Auxiliaire au Brésil. Em 1920, passou para o Governo, formando-se a Viação Férrea do Rio Grande do Sul, que, em 1969, teve as operações absorvidas pela RFFSA. Com parte do trecho desativada em meados dos anos 1990, em 1996 a ALL recebeu a concessão da linha, bem como de todas as outras ainda existentes no Estado. Trens de passageiros circularam até os anos 1980 pela linha.
 
A ESTAÇÃO: A estação de Barro foi aberta em 1910 pela Cia. Auxiliaire numa região ainda inóspita, cuja primeira colônia havia sido instalada apenas dois anos antes, mais ao sul, com o nome de Erechim. "Pelo contrato (da ferrovia), na atual sede de Gaurama deveria estar localizada a estação de Baliza, que, por atraso nos trabalhos, ficou a 8 quilômetros do local predeterminado, onde hoje (cerca de 1955) ainda há um povoado e uma parada ferroviária com aquele nome. (Foi, então, erigida outra estação, inaugurada no mesmo dia da outra - nota do autor do site).

A colonização organizada tem início lá por 1912 (...) embora já em 1910, alguns imigrande poloneses se haviam estabelecido, em precárias condições, no atual distrito de Carlos Gomes. (...) A igreja de Barro foi construída em 1915 (...) Chegado o ano de 1920, já o povoado de Barro, ao lado da estação do mesmo nome, contava com 60 prédios e 400 habitantes (...) nas proximidades do povoado havia três importantes viadutos da estrada de ferro. (...) A atual denominação surgiu em fins de 1938 - Gaurama, que deve corresponder em tupi à palavra portuguesa barro
" (O Rio Grande do Sul, de Alfredo R. Costa).

Em 1919, o povoado passa a ser a sede do segundo distrito de Erechim, e é também conhecido por Vila Barro.

Em 1944, a estação passa oficialmente a se chamar Gaurama.

Em 1951, grave desastre entre esta estação e a de Baliza causou pelo menos três mortes (Folha da Manhã, 5/12/1951).

Gaurama
tornou-se município em 1955. Em 1977, os trens de passageiros deixaram de passar por ali, quando se fechou para eles o trecho Marcelino Ramons-Passo Fundo.

As coisas somente mudariam em setembro de 2006: "Estudantes acompanham a travessia de um trem pelos trilhos da ferrovia que corta o município depois de 11 anos. Depois de 11 anos, a comunidade de Gaurama, na região do Alto Uruguai, pôde acompanhar a passagem de um trem de carga da empresa América Latina Logística (ALL). Os alunos da Escola Estadual de Ensino Fundamental José Ferreira Ramos ficaram curiosos com a novidade e se divertiram observando o trem. A direção da escola convidou um ferroviário para contar às crianças como funcionava o trem nos anos 1980, como se fazia a manutenção da linha e explicar qual a missão dos agentes das estações. Os alunos fizeram também trabalhos em sala de aula sobre o trem de carga. As crianças desenharam, fizeram montagens e maquetes para uma exposição organizada pelos professores na escola. O desafio da ALL agora será a implantação do trem turístico que vai de Piratuba a Passo Fundo, no norte do Estado. O trem voltou ao trecho que liga os municípios de Marcelino Ramos e Gaurama para fazer reparos nos trilhos e recuperar a malha ferroviária da região" (Zero Hora, 18/09/2006).

Em 2016, o museu que ficava na antiga estação ferroviária foi reaberto, depois de ficar fechado por 2 anos devido a reformas.

ACIMA: O trem a vapor chega a Gaurama. 1910? Não, 8 de julho de 2007. Um trem a vapor não passava por ali já havia pelo menos 40 anos. Uma diesel, então? Fora um trem da capina da ALL, em 2006, nenhum outro desde 1996. Um trem com passageiros, como este, da ABPF? Não... desde 1977, nunca mais (Foto Nilson Rodrigues, 2007).

TRENS - De acordo com os guias de horários, os trens de passageiros pararam nesta estação de 1894 a 1977. Ao lado, o trem da linha Marcelino Ramos-Santa Maria na estação de Cruz Alta, provavelmente nos anos 1960. Veja aqui horários em 1963 (Guias Levi).

(Fontes: Glaucio Henrique Chaves; Nilson Rodrigues; Vitor Hugo Langaro; Folha da Manhã, 1951; Gladis Helena Wolff: Trilhos de Ferro, Trilhas de Barro, 2005; IBGE: Enciclopédia de Municípios Brasileiros, 1959; Ariosto Borges Fortes: VFRGS, suas estações e paradas, 1962; Zero Hora, 2006; Folha de São Paulo, 1978; Alfredo R. Costa: O Rio Grande do Sul; Guia Geral das Estradas de Ferro do Brasil, 1960; Mapa - acervo R. M. Giesbrecht)
     

A estação de Barro em 1936. Autor desconhecido

A estação de Gaurama em 1957. Enciclopédia de Municípios Brasileiros, IBGE, vol. XXXIII, 1959

A estação, c. 2000. Patrimônio Ferroviário do Rio Grande do Sul, IPHAE, p. 120

A estação em 2004. Foto Nilson Rodrigues

A estação em 4/2014. Foto Vitor Hugo Langaro

O prédio em 2016. Foto Glaucio Henrique Chaves
     
Atualização: 16.10.2016
Página elaborada por Ralph Mennucci Giesbrecht.