A B C D E
F G H I JK
L M N O P
Q R S T U
VXY Mogiana em MG
...
Parada 46
São João Novo
Parada 50
...

Tronco EFS-1935

IBGE-1960
...
ESTIVE NO LOCAL: SIM
ESTIVE NA ESTAÇÃO: SIM
ÚLTIMA VEZ: 2013
...
 
E. F. Sorocabana (1928-1971)
FEPASA (1971-1998)
SÃO JOÃO NOVO
Município de São Roque, SP
Linha-tronco - km 48,350 (1931)   SP-1534
Altitude: 826 m   Inauguração: 1928
Uso atual: velório (2015)   com trilhos
Data de construção do prédio atual: 1931?
 
 
HISTORICO DA LINHA: A E. F. Sorocabana foi fundada em 1872, e o primeiro trecho da linha foi aberto em 1875, até Sorocaba. A linha-tronco se expandiu até 1922, quando atingiu Presidente Epitácio, nas margens do rio Paraná. Antes, porém, a EFS construiu vários ramais, e passou por trocas de donos e fusões: em 1892, foi fundida pelo Governo com a Ytuana, na época à beira da falência. Em 1903, o Governo Federal assumiu a ferrovia, vendida para o Governo paulista em 1905. Este a arrendou em 1907 para o grupo de Percival Farquhar, desaparecendo a Ytuana de vez, com suas linhas incorporadas pela EFS. Em 1919, o Governo paulista voltou a ser o dono, por causa da situação precária do grupo detentor. Assim foi até 1971, quando a EFS foi uma das ferrovias que formaram a estatal FEPASA. O seu trecho inicial, primeiro até Mairinque, depois somente até Amador Bueno, desde os anos 20 passaram a atender principalmente os trens de subúrbio. Com o surgimento da CPTM, em 1994, esse trecho passou a ser administrado por ela. Trens de passageiros de longo percurso trafegaram pela linha-tronco até 16/1/1999, quando foram suprimidos pela concessionária Ferroban, sucessora da Fepasa. A linha está ativa até hoje, para trens de carga.
 
A ESTAÇÃO: Quando foi inaugurado o serviço de trens de subúrbio pela Sorocabana em 1928, São João Novo foi escolhido para ponta de linha para esse serviço - com redução de 50% no preço das passagens (Mensagem ao Presidente do Estado, referente a 1928, p. 98).

Neste ano, a estação mudou de lugar: a antiga estação (São João, que passou a ser São João Velho) ficava antes, no sentido São Paulo-interior.

A estação nova tomou também o nome de São João, depois São João Novo, nos anos 1940. "Novo", e não "nova", pois se referia ao bairro inteiro, e não à estação, que, a essa época já tinha mais de dez anos ali.

Em 1931, construiu-se um prédio de madeira, que é aquele que está lá até hoje, como a única edificação desse pátio.

Quem se lembra do trem de passageiros - que deixou de passar ali em 1998/9 - e dos trem de subúrbios que antes iam até Mairinque, parando ali, lembra-se que "quando ele apitava em São João Velho (a que foi desativada em 1928), todos corriam para a estação nova, pois ele estava chegando e os dois locais eram próximos, cerca de um quilômetro".

A estação foi excluída mais tarde do serviço suburbano, e, nos anos 1990, a estação foi a primeira da linha, após Amador Bueno, a não ter o serviço, tendo sido então desativada. É nesse prédio que hoje funciona como velório municipal, depois de anos fechada, que hoje é uma das poucas estações de madeira que sobraram no Estado feitas desse material. E, pior: em 2014, a ALL, concessionária da linha e que usava o trecho para cargas principalmente de areia e madeira, deixou de usar o trecho, que, em poucos meses, ficou com os trilhos cobertos de mato.

(Veja também SÃO JOÃO-VELHO)

AO LADO: O lixo se amontoava em São João em 1938 (O Estado de S. Paulo, 16/9/1938).


ACIMA: No mapa, bem à direita, as linhas original e atual da Sorocabana se separavam pouco antes de São João Novo e São João Velho. O mapa, originalmente colorido, mostra três linhas, na verdade: a linha que mal aparece, coincidindo em quase todo o trecho com a linha original, era a linha original remodelada com pequenas retificações no início do século 20. A linha mais fina é a linha duplicada e com novo leito, de 1928. É lá que está São João Novo, além de "São João Velho", que é a estação desativada. A diferença é grande: cerca de aproximadamente 1,5 km de distância. Note-se que o mapa está invertido em relação ao norte (ver a seta que aponte para o norte, para baixo) (Reprodução extraída do livro "Histórico do Início, Fundação e Construção da Estrada de Ferro Sorocabana, 1870-1875", original de 1930, reimpressão em 2004). ABAIXO: Acidente em São João Novo em 1957 com o trem que vinha de S. Paulo e fazia retorno em São João Novo, às 6 da manhã (Diario de S. Paulo, 14/5/1957 - cessão Lenine Matheos Barros).

(Fontes: Ralph M. Giesbrecht, pesquisa local; Lenine Matheos Barros; Antonio Carlos Cardoso; Ricardo Koracsony; Adriano Martins; Histórico do Início, Fundação e Construção da Estrada de Ferro Sorocabana, 1870-1875; E. F. Sorocabana: relatórios anuais, 1910-69; Mapa - acervo R. M. Giesbrecht)
     

A estação em 1955. Autor desconhecido

A estação de madeira, em 1969. Foto cedida por Antonio Carlos Cardoso

A estação, em 20/02/1998. Foto Ralph M. Giesbrecht

Em 20/02/1998, a plataforma da estação. Foto Ralph M. Giesbrecht

O barracão de madeira, reformado, em 2001. Foto Adriano Martins

A estação já de cara nova e funcionando como velório, em 09/2002. Foto Ricardo Koracsony

A estação já de cara nova e funcionando como velório, em 09/2002. Foto Ricardo Koracsony

A estação em agosto de 2007. Foto Ricardo Koracsony

A estação em 31/12/2013. Foto Ralph M. Giesbrecht

A estação em 31/12/2013. Foto Ralph M. Giesbrecht
   
     
Atualização: 15.04.2017
Página elaborada por Ralph Mennucci Giesbrecht.