A B C D E
F G H I JK
L M N O P
Q R S T U
VXY Mogiana em MG
...
Leme
Souza Queiroz
Pirassununga
...

ramal de Descalvado-1935

IBGE-1956
...
ESTIVE NO LOCAL: SIM
ESTIVE NA ESTAÇÃO: SIM
ÚLTIMA VEZ: 2014
...
 
Cia. Paulista de Estradas de Ferro (1896-1971)
FEPASA (1971-1997)
SOUZA QUEIROZ
Município de Leme, SP
Linha-tronco original - km 171,950   SP-2627
Altitude: 602,240 m   Inauguração: 01.10.1896
Uso atual: demolida   sem trilhos
Data de construção do prédio atual: 1896 (já demolido)
 
 
HISTORICO DA LINHA: Em 1877, a Paulista abria o primeiro trecho, partindo de Cordeiros até Araras, do que seria o prolongamento de seu tronco. Em 1880, a linha, com o nome de Estrada do Mogy-Guassú, atingia Porto Ferreira, na mesma época em que a autorização para cruzar o Mogi e chegar a Ribeirão Preto foi indeferida pelo Governo Provincial, em favor da Mogiana. A linha, então, foi desviada para oeste e atingiu Descalvado no final de 1881, seu ponto final. Em 1916, as modificações da Paulista na área entre Rio Claro e São Carlos, na linha da antiga Rio-Clarense, fizeram com que o trecho fosse considerado como novo tronco, deixando a linha a partir de Cordeiros como o Ramal de Descalvado. Desde o começo em bitola larga (1,60m), ele funcionou para trnes de passageiros até julho de 1976 (Pirassununga-Descalvado) e até fevereiro de 1977 (Cordeirópolis-Pirassununga). Trens cargueiros andaram pela linha até o final dos anos 1980. Abandonado, o ramal teve os trilhos arrancados entre 1996 e 2003.
 
A ESTAÇÃO: "Para melhor servir á zona atravessada pela via ferrea (...) tem esta estação a grande vantagem de quebrar a distancia de 13 kilometros, a maior nas linhas de 1,60 metros entre duas estações, pois está projectada no km 172 quase a meia distancia entre Leme e Pirassununga". O relatório de 1895 da Paulista assim justificava a construção de uma nova estação na linha Jundiaí-Descalvado, e seguia afirmando que "para as despesas com esta construcção concorreram os fazendeiros interessados que alem de auxilio em dinheiro, forneceram tijolos,

TRENS - De acordo com os guias de horários, os trens de passageiros pararam nesta estação de 1896 a 1977. Na foto à esquerda, o trem do ramal está parado em Loreto. Clique sobre a foto para ver mais detalhes sobre esses trens. Veja aqui horários em 1964 (Guias Levi).

ACIMA: O fechamento da estação em 15 de agosto de 1968 (O Estado de S. Paulo, 1/8/1968).
madeiras e agua encanada até o local da estação"
. A estação foi finalmente inaugurada em 1896, nas terras da Fazenda Cresciumal, de propriedade, até hoje, da família Souza Queiroz. Foi sempre um depósito mesclado com estação, tendo sido reformada em 1918, tomando o aspecto definitivo. Em 15 de agosto de 1968, foi rebaixada a parada, devido ao pequeno movimento. Em 18 de fevereiro de 1977, o último trem de passageiros vindo de Pirassununga para Cordeirópolis passou por ali. Após 1986, apesar de uma abaixo-assinado dos moradores da pequena vila ao seu redor, que pediam a sua manutenção, o prédio foi demolido. Segundo relatos de moradores do que sobrou da pequena vila, da demolição saíram duas mil tábuas de aroeira! Hoje dela somente resta a plataforma, e os trilhos foram retirados no mês de dezembro de 1997. O pintor Rubenza, de São Paulo, imortalizou a estação em alguns quadros pintados nos anos 1980. (Ralph Mennucci Giesbrecht - do seu livro "Caminho para Santa Veridiana", 2003). Em 2014, sobre a plataforma, já agora cercada, estava sendo construída uma casa particular. A vila continua abandonada, com uma estrada de acesso ainda em terra e poucas casas - meia dúzia? A velha caixa d'água teve puxadinhos construídos junto a ela.
     

Estação de Souza Queiroz em 1918. Foto do álbum dos 50 anos da Paulista

A estação em 1980. Foto Rubens Zacharias

A estação em 1980. Foto Rubens Zacharias

Somente a plataforma estava ali, ainda com os trilhos no meio da grama, em 15/10/1996. Foto do autor
   
     
Atualização: 25.12.2014
Página elaborada por Ralph Mennucci Giesbrecht.