A B C D E
F G H I JK
L M N O P
Q R S T U
VXY Mogiana em MG
...
Taubaté
Tremembé
Pindamonhangaba
...

ram. S. Paulo EFCB-1950
...
ESTIVE NO LOCAL: SIM
ESTIVE NA ESTAÇÃO: SIM
ÚLTIMA VEZ: 1999
...
 
E. F. Central do Brasil (1914-1951)
TREMEMBÉ
Município de Tremembé, SP
Ramal de São Paulo - km 336,713 (1928)   SP-1204
    Inauguração: 26.07.1914
Uso atual: ocupada pela Prefeitura   sem trilhos
Data de construção do prédio atual: n/d
 
 
HISTORICO DA LINHA: Em 1869, foi constituída por fazendeiros do Vale do Paraíba a E. F. do Norte (ou E. F. São Paulo-Rio), que abriu o primeiro trecho, saindo da linha da SPR no Brás, em São Paulo, e chegando até a Penha. Em 12/05/1877, chegou a Cachoeira (Paulista), onde, com bitola métrica, encontrou-se com a E. F. Dom Pedro II, que vinha do Rio de Janeiro e pertencia ao Governo Imperial, constituída em 1855 e com o ramal, que saía do tronco em Barra do Piraí, Província do Rio, atingindo Cachoeira no terminal navegável dois anos antes e com bitola larga (1,60m). A inauguração oficial do encontro entre as duas ferrovias se deu em 8/7/1877, com festas. As cidades da linha se desenvolveram, e as que eram prósperas e ficaram fora dela viraram as "Cidades Mortas"... O custo da baldeação em Cachoeira era alto, onerando os fretes e foi uma das causas da decadência da produção de café no Vale do Paraíba. Em 1889, com a queda do Império, a E. F. D. Pedro II passou a se chamar E. F. Central do Brasil, que, em 1896, incorporou a já falida E. F. do Norte, com o propósito de alargar a bitola e unificar as 2 linhas. O primeiro trecho ficou pronto em 1901 (Cacheoira-Taubaté) e o trecho todo em 1908. Em 1957 a Central foi incorporada pela RFFSA. O trecho entre Mogi e São José dos Campos foi abandonado no fim dos anos 1980, pois a construção da variante do Parateí, mais ao norte, foi aos poucos provando ser mais eficiente. Em 31 de outubro de 1998, o transporte de passageiros entre o Rio e São Paulo foi desativado, com o fim do Trem de Prata, mesmo ano em que a MRS passou a ser a concessionária da linha. O transporte de subúrbios, existente desde 1914 no ramal, continua hoje entre o Brás e Estudantes, em Mogi e no trecho D. Pedro II-Japeri, no RJ.
 
A ESTAÇÃO: A estação de Tremembé foi inaugurada em 1914; a linha da Central não passava pela cidade. Existia um tramway de bitola de 60 cm que ligava Taubaté a Tremembé, que foi suprimido quando foi construída a variante que fez com que a linha passasse por essa cidade. Aliás, a Central comprou a linha em 1913 e alargou-a em boa parte do percurso aproveitando-a para colocar Tremembé no ramal de São Paulo. Essa linha já existia em 1885, se confiarmos no mapa abaixo. Por isso a inauguração da estação somente em 1914. A linha, entre Pindamonhangaba e Taubaté, foi desativada em 1951 com a retificação feita entre esses pontos, eliminando tanto a estação de Tremembé quanto a de Quiririm, e o povo de Tremembé passou a se utilizar da nova estação de

ACIMA: A estação de Tremembé, foto publicada em 1922. Não fazia muito tempo que ela fazia parte do ramal, donde passou a ser parte em 1914 (Acervo Ralph Mennucci Giesbrecht). ABAIXO: Mapa das ferrovias em 1885. Notar a existência da linha Taubaté-Tremembé (Acervo Eliana Belo Silva).
Engenheiro Cotrim que ficava na linha nova, fora da cidade. Curiosamente, a nova variante não tem um percurso muito diferente da linha que até 1913 passava por fora da cidade... "A variante foi inaugurada entre o final de 1951 e início de 1952, segundo uma notícia que apurei na edição do mês de abril de 1952 do jornal A Tribuna de Taubaté, o trecho e, conseqüentemente a estação já havia sido desativada e o mesmo artigo ainda fazia críticas quanto à localização da "Tremembé Nova" que foi aberta

ACIMA: Em 1977, estação já desativada havia mais de 20 anos, mas - e apesar da péssima qualidade da fotografia - ainda mantinha uma plataforma isolada do outro lado da linha e um prédio à esquerda: ambas as contruções não mais existem (O Estado de S. Paulo, 5/4/1977).
bem longe da cidade. Talvez por este motivo apenas os trens paradores continuaram a fazer suas paradas nesta estação, repare que os trens que não param correspondem ao Santa Cruz, Diurno Paulista (DP), Rápido Paulista e Noturno Paulista, que eram os que ofereciam maiores comodidades na época e os mais caros. Já ouvi notícias de que na época em que a estação de Tremembé antiga funcionava, todos esses trens (exceto o Santa Cruz) paravam nela
" (Marco Giffoni, 02/2006). A estação de Tremembé está hoje situada no centro de uma praça no centro da cidade. (veja também Engenheiro Cotrim)
(Fontes: Ralph M. Giesbrecht, pesquisa local; Tiago Luiz Zacarin; Eliana Belo Silva; Ércio Molinari; Marco Giffoni; VEJA, 1969; O Estado de S. Paulo, 1977; Carlos Cornejo e Eduardo Gerodetti: Lembranças do Brasil - As Ferrovias nos Cartões Postais e Álbuns de Lembranças; Max Vasconcellos: Vias Brasileiras de Communicação, 1928; www.vnews. com.br; Mapa - acervo R. M. Giesbrecht)
     

A estação de Tremembé, c. 1920. Foto do livro de Carlos Cornejo e Eduardo Gerodetti, Lembranças do Brasil - As Ferrovias nos Cartões Postais e Álbuns de Lembranças

A estação nos anos 1940. Foto do acervo de Ércio Molinari, Lorena, SP, cedida por Marco Giffoni

A estação, abandonada em 1969. Revista VEJA, 22/1/1969

A estação de Tremembé, em 14/01/1999. Foto Ralph M. Giesbrecht

A estação de Tremembé, em 14/01/1999. Foto Ralph M. Giesbrecht

A estação em 2010. Foto Tiago Luiz Zacarin

Lado da plataforma em 16/5/2011. Foto Ralph M. Giesbrecht

Lado da fachada em 16/5/2011. Foto Ralph M. Giesbrecht
 
     
Atualização: 07.04.2013
Página elaborada por Ralph Mennucci Giesbrecht.