A B C D E
F G H I JK
L M N O P
Q R S T U
VXY Mogiana em MG
...
Presidente Prudente
Álvares Machado
Presidente Bernardes
...

Tronco EFS - 1935

IBGE-1973
...
ESTIVE NO LOCAL: NÃO
ESTIVE NA ESTAÇÃO: NÃO
ÚLTIMA VEZ: S/D
...
 
E. F. Sorocabana (1919-1971)
FEPASA (1971-1998)
ALVARES MACHADO
Município de Álvares Machado, SP
Linha-tronco original - km 812,710 (1924); km 799,722 (1931) (*); km 751,789 (1960) (**)   SP-0906
Altitude: 451 m   Inauguração: 26.02.1919
Uso atual: abandonada (2017)   com trilhos
Data de construção do prédio atual: n/d
(*) As quilometragens foram alteradas em 1928, devido às retificações feitas entre São Paulo e Iperó neste ano e em 1953, (**) devido às retificações feitas entre Conchas e Manduri neste ano.
 
 
HISTORICO DA LINHA: A E. F. Sorocabana foi fundada em 1872, e o primeiro trecho da linha foi aberto em 1875, até Sorocaba. A linha-tronco se expandiu até 1922, quando atingiu Presidente Epitácio, nas margens do rio Paraná. Antes, porém, a EFS construiu vários ramais, e passou por trocas de donos e fusões: em 1892, foi fundida pelo Governo com a Ytuana, na época à beira da falência. Em 1903, o Governo Federal assumiu a ferrovia, vendida para o Governo paulista em 1905. Este a arrendou em 1907 para o grupo de Percival Farquhar, desaparecendo a Ytuana de vez, com suas linhas incorporadas pela EFS. Em 1919, o Governo paulista voltou a ser o dono, por causa da situação precária do grupo detentor. Assim foi até 1971, quando a EFS foi uma das ferrovias que formaram a estatal FEPASA. O seu trecho inicial, primeiro até Mairinque, depois somente até Amador Bueno, desde os anos 20 passaram a atender principalmente os trens de subúrbio. Com o surgimento da CPTM, em 1994, esse trecho passou a ser administrado por ela. Trens de passageiros de longo percurso trafegaram pela linha-tronco até 16/1/1999, quando foram suprimidos pela concessionária Ferroban, sucessora da Fepasa. A linha está ativa até hoje, para trens de carga.
 
A ESTAÇÃO: A cidade nasceu em 1916 com o nome de Brejão, alterado para Patrimônio de São Luís, dois anos depois da chegada dos trilhos em 1919, ano em que foi aberta a estação ferroviária, com a chegada dos trilhos da Sorocabana, como ponta de linha e mantendo o nome de Brejão, quase que imediatamente alterado para Alvares Machado, apenas um mês e meio depois da abertura da estação.

Setenta e oito anos depois, passou por ali o último trem de passageiros, em janeiro de 1999, quando já estava no percurso entre Presidente Prudente e Presidente Epitácio correndo um trem diferente do que ia de São Paulo a Prudente. "A estação de Álvares Machado está simplesmente abandonada, mas é bonita como as outras do trecho. Numa parte mora gente e na outra funciona uma oficina mecânica de quinta categoria..." (Rodrigo Cabredo, 28/10/2000). Dois anos depois, em 12/2002, a situação não se alterou muito: não havia mais vidros nas janelas nem portas no lado da plataforma. A oficina continuava lá e também há gente morando, em condições muito ruíns. Uma parte da cobertura da plataforma foi arrancada. Ainda existiam dois desvios, e até bem limpos. O armazém, fechado e depredado. Em junho de 2004, a Prefeitura da cidade tentava comprar o prédio da RFFSA, que estava se deteriorando mais e mais.

Em 2017, a situação era muito ruim e a estação estava abandonada, ameaçando cair.

OBRAS FEITAS NA ESTAÇÃO E SEU PÁTIO DE ACORDO COM RELATÓRIOS DA EFS: 1934 - Construção de armazém; construção de desvio de acesso a armazém e suporte para caixa d'água


ACIMA: A cidade de Álvares Machado em vista aérea de 1939. Veja a estação no canto direito inferior (Instituto Geográfico e Cartográfico de São Paulo). ABAIXO: A estação, provavelmente por volta de 1930 (Autor desconhecido).


ACIMA: Cidade calma em 1992, a rua de acesso à estação é estreita e sem movimento. A estação aparece ao fundo, ainda aberta (Foto Carlos Roberto de Almeida, 31/12/1992).

TRENS - De acordo com os guias de horários, os trens de passageiros - pararam nesta estação de 1919 a 1999. Ao lado, um deles no pátio de Rancharia, em 1992. Clique sobre a foto para ver mais detalhes sobre esses trens. Veja aqui horários em 1968: SP-Botucatu e Botucatu-Pres. Epitacio e SP-Mairinque (Guias Levi).
(Fontes: Rodrigo Cabredo; Silvio Rizzo; Alexandre Scatolon; Carlos R. Almeida; Celso Bordinassi; Wanderley Duck; Robson Batista; INGE: Enciclopédia dos Municipios Brasileiros, vol. XXVIII, 1957; E. F. Sorocabana, relatórios anuais, 1900-69; Mapa - acervo R. M. Giesbrecht)
     

A estação de Alvares Machado, provavelmente anos 1950. Acervo Wanderley Duck

A estação em 1998. Foto José Carlos Daltozo

Plataforma da estação em outubro de 2000. Foto Rodrigo Cabredo

Plataforma da estação em outubro de 2000. Foto Rodrigo Cabredo

Fachada da estação, em outubro de 2000. Foto Rodrigo Cabredo

A plataforma da estação e o armazém vista da ponte, em 05/2005. Foto Robson Batista

Fachada da estação em 28/7/2016 - Foto Silvio Rizzo

Plataforma da estação em 28/7/2016 - Foto Silvio Rizzo
 
     
Atualização: 13.01.2017
Página elaborada por Ralph Mennucci Giesbrecht.