A B C D E
F G H I JK
L M N O P
Q R S T U
VXY Mogiana em MG
Indice de estações
...
Lavapés
Rio do Braço
Mutuns
...
Saída do ramal de Poiri: Banco do Pedro
...
Saída do ramal de Itajuípe: Sequeiro do Espinho
...
ESTIVE NO LOCAL: NÃO
ESTIVE NA ESTAÇÃO: NÃO
ÚLTIMA VEZ: S/D
...
 
E. F. de Ilhéus a Conquista (1910-1950)
E. F. de Ilhéus (1950-1964)
RIO DO BRAÇO
Município de Ilhéus, BA
E. F. Ilhéus (tronco) - km 42,970 (1960)   BA-4179
Altitude: 45 m   Inauguração: 25.02.1911
Uso atual: em pé - uso desconhecido   sem trilhos
Data de construção do prédio atual: n/d
 
 
HISTORICO DA LINHA: A linha-tronco Ilhéus-Itabuna foi aberta em 1910 em seu primeiro trecho, por investidores ingleses da The State Of Bahia South Western Railway Company Limited, com a idéia de alcançar Conquista (Vitória da Conquista). O primeiro ramal, o de Água Preta (Uruçuca), que partia da estação de Rio do Braço, foi aberto ao tráfego em 1914 e estendido até Poiri em 1931. Em 1918 um outro ramal tem iniciada a sua construção, estendendo-se até Itajuípe, aonde chegou em 1934. Foram as máximas extensões da ferrovia, que jamais se comunicou com outras do estado da Bahia ou com a Bahia-Minas, apesar de diversos projetos nesse sentido que jamais saíram do papel. Em 1950, os ingleses repassaram a estrada ao Governo, que mudou o nome para E. F. de Ilhéus. A estrada jamais chegou a Conquista, pelo que se diz, pelo fato de os ingleses já estarem satisfeitos com o que arrecadavam somente com a linha já existente. Em 1963, já estava decadentíssima a ferrovia, que em 1965 já não mais funcionava.
 
A ESTAÇÃO: A estação de Rio do Braço foi inaugurada em 1911, pela The State Of Bahia South Western Railway Company Limited, ou, na época, como também era chamada, a E. F. de Ilhéus a Conquista. A abertura foi provisória, como o foi a do primeiro trecho sete meses antes, autorizada pelo Governo da Província da Bahia, e o trecho aberto desta vez tinha apenas 5 km até a estação de Mutuns, e também o do sub-ramal do Mocambo - nome da época para o primeiro trecho aberto do futuro ramal de Poiri. Não a estação, que ficava na linha, no quilômetro 32, mas quase até a estação do Rio do Braço, no quilômetro 42. Como as quilometragens citadas no relatório do Estado diferem das quilometragens oficiais de 1960 (do Guia Geral de Estradas de Ferro do Brasil de 1960), há sempre dúvidas acerca de qual seria o trecho exato a ser aberto. Segundo o estudo de Manoel Ursino Tenório de Azevedo Junior: Viajando nos trilhos da história: roteiro turístico cultural no antigo trajeto da estrada de ferro de Ilhéus, Bahia (2005), a estação ainda está de pé. A estação foi desativada por volta de 1964. O distrito de Rio do Braço é quase uma "cidade

ACIMA: Casario totalmente abandonado em Rio do Braço. ABAIXO: A casa principal do chefe político da região também está vazia. Aliás, o povoado inteiro parece abandonado, mas o abandono constrasta com a beleza do local, integrado Às belas casas mesmo em ruínas. Realmente, uma "cidade cenográfica", que mostra que o local já foi muito rico e hoje desapareceu como ponto de moradia (Fotos do site www.catucadas.blogspot.com).
cenográfica" a céu aberto e suas imagens ganharam as telas da teledramaturgia brasileira. "É distrito de Ilhéus e fica a 6 km da rodovia Ilhéus-Uruçuca (km 19). Tem como atração o cenário onde foram gravadas muitas cenas da novela Renascer" (HEINE, 2003, p.47 - extraído de texto de Manoel Ursino Tenório de Azevedo Junior, 2005).

ACIMA: A estação de Rio do Braço no mapa dos anos 1950. Notar que ambos os ramais saíam juntos de Rio do Braço e somente em Banco do Pedro é que se separavam em ramal de Itajuípe e de Poiri (o que vai para Uruçuca) (Enciclopédia dos Municípios Brasileiros, volume VI, 1958).

ACIMA e ABAIXO: O "povoado despovoado" de Rio do Braço em janeiro de 2008. Para quem não conhece o local, como eu, é difícil saber onde está a antiga estação, mas eu diria que está junto à bifurcação de caminhos no lado esquerdo da foto de baixo, ou na mesma bifurcação vista acima no centro da foto (Fotos do site www.catucadas.blogspot.com).
Veja também os trens da E. F. de Ilhéus
(Fontes: Manoel Ursino Tenório de Azevedo Junior; Roberto Rabat Chame; www.catucadas.blogspot.com; IBGE: Enciclopédia dos Municípios Brasileiros, volume VI, 1958; Guia Geral das Estradas de Ferro do Brasil, 1960)
     

A estação já desativada, anos 1980. Acervo Roberto Rabat Chame

A estação de Rio do Braço esquecida, desativada, em 2005.
Foto Manoel Ursino Tenório de Azevedo Junior
 
     
Atualização: 23.08.2014
Página elaborada por Ralph Mennucci Giesbrecht.