A B C D E
F G H I JK
L M N O P
Q R S T U
VXY Mogiana em MG
Indice de estações
...
Oliveira Fortes
Paiva
José Bonifácio
...
ESTIVE NO LOCAL: NÃO
ESTIVE NA ESTAÇÃO: NÃO
ÚLTIMA VEZ: S/D
...
 
E. F. Central do Brasil (1914-1969)
PAIVA
Município de Paiva, MG
Ramal de Mercês - km 360,846 (1928)   MG-1254
Altitude: 566 m   Inauguração: 06.09.1914
Uso atual: agência dos correios (2009)   sem trilhos
Data de construção do prédio atual: 1916
 
 
HISTÓRICO DA LINHA: O ramal de Mercês foi aberto por volta de 1900 pela E. F. do Rio Doce, ligando a estação de Palmyra (Santos Dumont) a Oliveira Fortes, e prolongado em 1914 quando alcançou a cidade de Mercês. Originalmente, era a E. F. João Gomes ao Rio Doce, adquirida pela Central em outubro de 1910. Inicialmente seu nome foi Ramal de Piranga, pois pretendia chegar até essa cidade, ligando o ramal ao ramal da Ponte Nova, cuja linha distava pouco mais de 40 km de Mercês. Tal nunca foi feito e o nome do ramal passou a ser o da sua cidade final. Foi suprimido em 28/02/1969.
 
A ESTAÇÃO: A estação de Paiva foi aberta em 1914 em terras da fazenda Santa Rosa, de João Ferreira de Paiva, apelidado João Menino.

"Com o avanço da linha férrea que ligaria Santos Dumont a Mercês movimentou-se João Ferreira de Paiva no sentido de conseguir a modificação do traçado inicial fazendo com que a via passasse pelo arraial então em franco desenvolvimento. Com empenho político através de seu particular amigo o senador Bias Fortes pai, conseguiu seu intento. Ao inaugurar-se a nova estação Paulo de Frontin que viera para as solenidades sugeriu que o nome fosse trocado de Santa Rosa para o de Paiva em homenagem ao fundador do povoado. Assim explica-se a fundação do núcleo inicial e a origem do topônimo" (IBGE: Enciclopédia dos Municípios Brasileiros, vol. XXVI, 1959).

O ramal foi suprimido em 1969, e com isso a estação foi fechada.

Em outubro de 2009, bem conservada, servia como agência de correios. "A estação está bem cuidada e fica no centro da pacata cidade. Em frente à estação fica uma bela praça arborizada que tem um pequeno lago com chafariz e muitos peixes. Próximo dali fica a Matriz de São Sebastião padroeiro da localidade e santo de devoção do fundador. O que destoa do conjunto arquitetônico é que ao lado da estação foi construída uma quadra poliesportiva. A quadra ficou tão próxima que a sua parede está junto à rampa da plataforma. Vista do alto a cobertura metálica encobre parte do antigo prédio e com isso a visão da estação não é completa ao se admirar o panorama a partir do morro do cemitério.

Ao lado, uma caixa d`água metálica com estrutura toda feita com trilhos, apresenta uma desbotada pintura que lembra as cores do arco-íris. Era aí que as locomotivas a vapor abasteciam o tender com água antes de enfrentar a subida íngreme até Oliveira Fortes. Neste pequeno trecho de pouco mais de 10 km a ferrovia saía da cota 566 e ia serpenteando as montanhas até atingir a altitude de 826 metros em Oliveira Fortes. Esta subida de 260 metros em tão curto trecho equivale a uma rampa média de 2,4%. Apesar de ser um trecho penoso para a construção e operação da ferrovia, para o passageiro deveria ser o melhor da região, pois enquanto a composição subia lentamente a Serra da Mantiqueira, tinha-se a oportunidade de vislumbrar um conjunto de montanhas de excepcional beleza
" (Jorge A. Ferreira, 11/2009).

ACIMA: A estação de Paiva nos anos 1960 (Acervo Jair Toledo de Paiva). ABAIXO: Na estação bem conservada de Paiva, o dístico mostra a data de construção do prédio (1916) (Foto Jorge A. Ferreira em 24/10/2009).


TRENS - De acordo com os guias de horários, os trens de passageiros - sempre trens mistos - pararam nesta estação de 1914 a 1969. Ao lado, um destes trens está próximo à cidade de Oliveira Fortes, em 1967. Clique sobre a foto para ver mais detalhes sobre esses trens. Veja aqui horários em fevereiro de 1963 (Guias Levi).
(Fontes: Jorge A. Ferreira; Jair Toledo de Paiva; Carlos Latuff; Gutierrez Coelho, 2005; Max Vasconcellos: Vias Brasileiras de Comunicação, 1928; IBGE: Enciclopédia dos Municípios Brasileiros, vol. XXVI, 1959; Guia Geral das Estradas de Ferro do Brasil, 1960)
     

Estação de Paiva, hoje correio (2002). Foto Jorge A. Ferreira

Estação de Paiva, hoje correio (2002). Foto Jorge A. Ferreira

Estação de Paiva, hoje correio (2002). Foto Jorge A. Ferreira

A estação em 12/2005. Foto Gutierrez L. Coelho

A estação em 12/2005. Foto Gutierrez L. Coelho

A estação em 12/2005. Foto Gutierrez L. Coelho

A estação em 24/10/2009. Foto Jorge A. Ferreira
   
     
Atualização: 13.05.2017
Página elaborada por Ralph Mennucci Giesbrecht.