A B C D E
F G H I JK
L M N O P
Q R S T U
VXY Mogiana em MG
Indice de estações
...
(até c. 1970):
Barros Filho
Costa Barros
Camboatá
...
Entroncamento com a linha Circular da Pavuna (hoje transformada em continuação da linha de subúrbios): Pavuna
...

...
ESTIVE NO LOCAL: NÃO
ESTIVE NA ESTAÇÃO: NÃO
ÚLTIMA VEZ: S/D
...
 
E. F. Melhoramentos (1898?-1903)
E. F. Central do Brasil - Linha Auxiliar (1903-1965)
E. F. Leopoldina (1965-1975)
RFFSA (1975-1997)
Supervias (1997-)
COSTA BARROS
Município do Rio de Janeiro, RJ
Linha Auxiliar - km 23,182 (1928)   RJ-1264
Altitude: 18 m   Inauguração: 28.03.1898?
Uso atual: estação de trens metropolitanos   com trilhos
Data de construção do prédio atual: 1978
 
 
HISTORICO DA LINHA: A chamada E. F. Melhoramentos foi construída a partir de 1892. Em 1895 foi aberta a linha entre a estação de Mangueira e a da atual Honorio Gurgel. Em março de 1898 foi entregue o trecho até Paraíba do Sul. Até Três Rios foi logo em seguida e em 1911 alcançou Porto Novo do Cunha, anexando o ramal deste nome, que teve a bitola reduzida para métrica, a mesma da Auxiliar. O traçado da serra, construído em livre aderência e com poucos túneis, foi projetado por Paulo de Frontin, um dos incorporadores da estrada. Em 1903, a E. F. Melhoramentos já havia sido incorporada à E. F. Central do Brasil e passou a se chamar Linha Auxiliar. No final dos anos 1950, este antigo ramal foi incorporado à E. F. Leopoldina. A linha, entre o início e a estação de Japeri, onde se encontra com a Linha do Centro pela primeira vez, transformou-se em linha de trens de subúrbios, que operam até hoje; da mesma forma, a linha se confunde com a Linha do Centro entre as estações de Paraíba do Sul e Três Rios, onde, devido à diferença de bitolas entre as duas redes, existe bitola mista. A linha da Auxiliar teve o traçado alterado nos anos 1970 quando boa parte dela foi usada para a linha cargueira Japeri-Arará, entre Costa Barros e Japeri, ativa até hoje, bem como para trens metropolitanos entre o Centro e Costa Barros. Entre Japeri e Três Rios, entretanto, a linha está abandonada já desde 1996.
 
A ESTAÇÃO: A estação de Costa Barros, cujo nome homenageava Antonio de Costa Barros, que cedeu terras de sua fazenda para a construção da linha, foi inaugurada em 1898. Este fazendeiro era o pái de Barros Filho, nome da estação imediatamente anterior na linha (sentido D. Pedro II-Costa Barros).

A data de sua abertura é incerta.

Como na estação de Barros Filho, ela tem data de abertura incerta.

Sua história é muito parecida com a da estação de Costa Barros: Segundo O Guia Geral das Estradas de Ferro do Brasil, de 1960, a estação teria sido aberta em 28/3/1908. Já Max Vasconcellos (1928) cita uma data completamente ilegível. As tabelas de horários consultadas (1895, 1898, 1904 e 1908) não citam o nome desta estação ou de alguma outra em posição equivalente a ela.

O prédio original foi substituído por outro em 1928.

Em 2019, a estação de Costa Barros era a última (na sequência desde o início da linha em Pedro II) da linha Auxiliar original que ainda tem movimento de trens de subúrbio.

Desde os anos 1970, quando parte do trecho da linha além desta estação foi utilizado para a construção da linha cargueira Japeri-Arará, as estações que ficavam adiante de Costa Barros não são mais utilizadas para trens de subúrbio. Estes trens, hoje, seguem de Costa Barros e entram no sentido da Pavuna, dali chegando a Belford Roxo, utilizando-se de linhas originadas tanto do antigo ramal Circular da Pavuna quanto da extinta E. F. Rio do Ouro.

Ou seja: há uma linha de subúrbios que liga Dom Pedro II-Costa Barros-Pavuna-Belford Roxo, direta, fusão de três antigas ferrovias que deixaram de existir há muitos anos. Este ramal se juntava à antiga linha Auxiliar, de novo, em Thomasinho.

A linha cargueira Japeri-Arará se encontra com os trilhos da velha Auxilliar num ponto entre as estações de Barros Filho e de Costa Barros.

A estação atual foi inaugurada pelo ministro dos Transportes, Gal. Dirceu Nogueira, em 04/04/1978.


ACIMA: A linha circular da Pavuna, criada em 1910 e traçada sobre um mapa de hoje (2019). Em azul, a linha Auxiliar. Em vermelho, a linha circular e seus acessos. Em verde, a E. F. Rio D'Ouro. Em 2019, a linha operante da atual Supervia é a linha que segue de Costa Barros (azul), entra pela linha vermelha para nordeste e segue até a estação da Pavuna e, depois, segue pela linha verde até Belford Roxo (ao norte e fora deste mapa). O restante das linhas azul (onde estava Tomasinho e vermelha (onde estavam São Mateus e Engenheiro Berford) não são mais operacionais e estão ou abandonadas ou mesmo retiradas. CLIQUE SOBRE A FIGURA PARA VER EM TAMANHO MAIOR (Google Maps, desenho das vias: Carlos Melekh).

1926
AO LADO:
Quebra de locomotiva na estação (O Estado de S. Paulo,
14/8/1926).

ACIMA: Panorama de Costa Barros, onde se vê a linha e a estação e sua longa plataforma. Provavelmente anos 1940 (Acervo Zanon).

ACIMA: Em 1949, a rua que dava acesso à estação de Costa Barros (Jornal do Brasil, 1949).
1949
À ESQUERDA: Colisão de trem da Central com poste de alta tensão na parada em Costa Barros (Folha da Manhã, 28/5/1949)

ACIMA: Desastre na estação de Costa Barros em 1986 (Diario Popular, 12/3/1986).

(Fontes: José A. de Vasconcellos; Carlos Latuff; Acervo Zanon; O Estado de S. Paulo, 1926; Jornal do Brasil, 1949; Folha da Manhã, 1949; Max Vasconcellos, 1928; Mapa - acervo R. M. Giesbrecht)
     

Na ainda deserta região de Costa Barros em 1928, o novo prédio da estação ainda em construção. Foto Max Vasconcellos

A estação no início dos anos 1990. Foto José A. de Vasconcellos

Ao fundo, a estação atual de Costa Barros, tendo a imensa plataforma em primeiro plano, em 08/2003. Foto Carlos Latuff

Seria este velho prédio desfigurado e pichado a estação original de Costa Barros, ainda posicionada junto à plataforma, em 08/2003? Foto Carlos Latuff

Seria este velho prédio desfigurado e pichado a estação original de Costa Barros, ainda posicionada junto à plataforma, em 08/2003? Foto Carlos Latuff

A antiga estação antes de sua demolição, depois de ter sido desativada em 1978. A data da foto é desconhecida, talvez anos 1980. Foto Luiz A. Doria, cessão Hugo Caramuru
     
Atualização: 14.08.2019
Página elaborada por Ralph Mennucci Giesbrecht.