A B C D E
F G H I JK
L M N O P
Q R S T U
VXY Mogiana em MG
Indice de estações
...
Carlos Niemeyer
Andrade Pinto
Vieira Cortez
...

...
ESTIVE NO LOCAL: SIM
ESTIVE NA ESTAÇÃO: SIM
ÚLTIMA VEZ: 2012
...
 
E. F. Dom Pedro II (1867-1889)
E. F. Central do Brasil (1889-1975)
RFFSA (1975-1996)
ANDRADE PINTO
(antiga UBÁ e PATY)

Município de Vassouras, RJ
Linha do Centro - km 170,232 (1937)   RJ-1376
Altitude: 295 m   Inauguração: 05.05.1867
Uso atual: bem conservada, uso desconhecido (2017)   com trilhos
Data de construção do prédio atual: n/d
 
 
HISTORICO DA LINHA: Primeira linha a ser construída pela E. F. Dom Pedro II, que a partir de 1889 passou a se chamar E. F. Central do Brasil, era a espinha dorsal de todo o seu sistema. O primeiro trecho foi entregue em 1858, da estação Dom Pedro II até Belém (Japeri) e daí subiu a serra das Araras, alcançando Barra do Piraí em 1864. Daqui a linha seguiria para Minas Gerais, atingindo Juiz de Fora em 1875. A intenção era atingir o rio São Francisco e dali partir para Belém do Pará. Depois de passar a leste da futura Belo Horizonte, atingindo Pedro Leopoldo em 1895, os trilhos atingiram Pirapora, às margens do São Francisco, em 1910. A ponte ali constrruída foi pouco usada: a estação de Independência, aberta em 1922 do outro lado do rio, foi utilizada por pouco tempo. A própria linha do Centro acabou mudando de direção: entre 1914 e 1926, da estação de Corinto foi construído um ramal para Montes Claros que acabou se tornando o final da linha principal, fazendo com que o antigo trecho final se tornasse o ramal de Pirapora. Em 1948, a linha foi prolongada até Monte Azul, final da linha onde havia a ligação com a V. F. Leste Brasileiro que levava o trem até Salvador. Pela linha do Centro passavam os trens para São Paulo (até 1998) até Barra do Piraí, e para Belo Horizonte (até 1980) até Joaquim Murtinho, estações onde tomavam os respectivos ramais para essas cidades. Antes desta última, porém, havia mudança de bitola, de 1m60 para métrica, na estação de Conselheiro Lafayete. Na baixada fluminense andam até hoje os trens de subúrbio. Entre Japeri e Barra Mansa havia o "Barrinha", até 1996, e finalmente, entre Montes Claros e Monte Azul esses trens sobreviveram até 1996, restos do antigo trem que ia para a Bahia. Em resumo, a linha inteira ainda existe... para trens cargueiros.
 
A ESTAÇÃO: A estação foi inaugurada em 1867 no antigo pouso do Alferes, com o nome de Ubá.

"A plataforma (da estação de Ubá) não é coberta, de maneira que os passageiros têm de entrar nos carros e subir expostos à chuva ou ao sol" (Relatório apresentado a S. Ex. o Sr. Conselheiro Joaquim Antão Fernandes Leão, Ministro e Secretário de Estado dos Negócios da Agricultura, Commercio e Obras Públicas, pelo Conselheiro Manoel da Cunha Galvão, em 29/10/1868). O prédio provavelmente não era o mesmo de hoje, apenas um ano depois de aberta a estação.

Mais tarde a estação teve o nome alterado para Paty, até que finalmente passou a se chamar Andrade Pinto, homenageando José de Andrade Pinto, antigo sub-diretor da ferrovia. Ele foi o responsável pela construção da Ponte dos Marinheiros, sobre o Canal do Mangue, em 1907, e a revista Manchete, de 1957, conta a história sobre a sua morte: "Os muros de arrimo da linha elevada que se vêem na Ponte dos Marinheiros foram construídas de concreto armado, utilizado pela primeira vez entre nós em obras desse tipo. Em torno desses muros, constituídos por painéis de simples armaduras, engastados em "gigantes" de natureza idêntica, é que se construiu a lenda da morte do engenheiro José de Andrade Pinto, que teria se suicidado com medo de que a ponte ruísse à passagem da primeira composição ferroviária. Não passa de lenda, no entanto. O engenheiro morreu a 24 de outubro de 1907, doze dias depois da inaugurados os trabalhos de elevação, colhido por uma locomotiva na Linha Auxiliar, cujos trilhos passavam nos fundos de sua casa, na rua São Francisco Xavier.

A verdade em torno da qual se fez a lenda, é que o engenheiro Andrade Pinto, então chefe da linha, foi vítima do excesso de trabalho, no cumprimento do dever. Devido ao grande esforço que fizera na execução da obra e em trabalhos de recuperação de linhas da serra da Mantiqueira, danificadas por grandes enchentes, ele tinha ordem médica de repouso absoluto. Mas uma noite conseguiu iludir a vigilância de seus enfermeiros e pôs-se a percorrer sozinho a via férrea, sendo colhido pela locomotiva. A idéia de suicídio foi afastada pela declaração do maquinista, que afirmou tratar-se de acidente
".

Em 1940, a vila de Andrade Pinto, então sede de um dos distritos do município de Vassouras, era mais populosa que o distrito-sede, possuindo em volta diversas fazendas e indústrias. No entanto, 50 anos depois, de acordo com o jornal O Estado de S. Paulo, de 1990, a vila de Andrade Pinto, ao redor da estação, somente não desapareceu totalmente com o fim do trem nos anos 1970 porque estava próxima a uma rodovia. Mesmo assim, três em cada cinco habitantes já haviam ido embora.

Em 2017, a estação estava bem conservada. A vila fica ao lado da rodovia BR-393, próxima à divisa municipal entre Vassouras, ao qual pertence, e Paraíba do Sul.

AO LADO: Os "trens rapidos" Rio-São Paulo passam a parar na estação em 1939 (O Estado de S. Paulo, 15/10/1939).
ACIMA: A vila de Andrade Pinto, em foto tirada do lado da estação ferroviária. No final da rua, a BR-393. Para a direita, Vassouras. Para a esquerda, Paraíba do Sul (Foto Ralph M. Giesbrecht, 30/10/2012).

TRENS - Os trens de passageiros pararam nesta estação de 1867 até 1980. Ao lado, o trem Rio-Belo Horizonte, que fazia esse percurso. Clique sobre a foto para ver mais detalhes sobre esses trens. Veja aqui horários em 1968 (Guias Levi).
(Fontes: Ralph M. Giesbrecht, pesquisa local; Jorge A. Ferreira; O Estado de S. Paulo, 1939; Max Vasconcellos: Vias Brasileiras de Comunicação, 1928; Manoel da Cunha Galvão: Relatório apresentado ao Sr. Conselheiro Joaquim Antão Fernandes Leão, Ministro e Secretário de Estado dos Negócios da Agricultura, Commercio e Obras Públicas, 1868; Mapa - acervo R. M. Giesbrecht)
     

Estação de Andrade Pinto, talvez anos 1930. Autor desconhecido. Notar a segunda plataforma à direita

Estação de Andrade Pinto, em 2002. Foto Jorge Alves Ferreira

Estação de Andrade Pinto, em 2002. Foto Jorge Alves Ferreira

Estação de Andrade Pinto, em 2002. Foto Jorge Alves Ferreira

A estação em 08/2005. Foto Jorge A. Ferreira

A estação de Andrade Pinto em 07/2007. Ao fundo a igreja de Santo Antonio. Foto Jorge A. Ferreira


A estação de Andrade Pinto em 30/10/2012. Foto Ralph M. Giesbrecht
   
     
Atualização: 29.05.2017
Página elaborada por Ralph Mennucci Giesbrecht.