A B C D E
F G H I JK
L M N O P
Q R S T U
VXY Mogiana em MG
...
Monlevade
Lins-nova
Guaiçara
...

Tronco NOB - 1935
...
ESTIVE NO LOCAL: SIM
ESTIVE NA ESTAÇÃO: NÃO
ÚLTIMA VEZ: 2011
...
 
E. F. Noroeste do Brasil (1962-1975)
RFFSA (1975-1996)
LINS-NOVA
Município de Lins, SP
Linha-tronco - km 137,664 (1960)   SP-2281
Altitude: -   Inauguração: 15.11.1962
Uso atual: abandonada (2016)   com trilhos
Data de construção do prédio atual: 1962
 
 
HISTORICO DA LINHA: A Estrada de Ferro Noroeste do Brasil foi aberta em 1906, seguindo a partir de Bauru, onde a Sorocabana havia chegado em 1905, até Presidente Alves, em setembro de 1906. Em janeiro de 1907 atingia Lauro Müller, em 1908 Araçatuba e em 1910 atingia as margens do rio Paraná, em Jupiá, de onde atravessaria o rio, de início com balsas, para chegar a Corumbá, na divisa com a Bolívia, anos depois. O trecho entre Araçatuba e Jupiá, que até 1937 costeava o rio Tietê em região infestada de malária, foi substituído nesse ano por uma variante que passou a ser parte do tronco principal, enquanto a linha velha se tornava o ramal de Lussanvira. Em 1957, a Noroeste passou a fazer parte da RFFSA. Transportou passageiros até cerca de 1995, quando esse transporte foi suprimido. Em 1996, a RFFSA deu a concessão da linha para a Novoeste, encampada pela ALL em 2006.
 

A ESTAÇÃO: A estação velha de Lins, construída em 1920/21, foi desativada em 15 de novembro de 1962 (segundo conta Antonio Silvano Gustinelli), quando se completou a variante de Lins, que fez com que uma estação mais nova fosse aberta no mesmo dia em local diferente: Lins-nova.

A variante, no entanto, já vinha funcionando em testes com cargueiros desde pelo menos março de 1962, conforme reportagem da Folha de S. Paulo de 14 de março desse ano. Ficava (fica ainda) atrás do aeroporto municipal, no bairro São João, enquanto a antiga ficava (fica ainda) no bairro do Junqueira.

34 anos depois, com trens de passageiros já desativados, em 1996, a estação, que já ia mal das pernas, passou ao abandono. Já estava quase totalmente abandonada em 2003, quando uma família morava onde era o escritório.

Em maio de 2004, José C. Bratfich via uma situação diferente e pior: "No início de 2004 fui a Lins. Na estação há gente morando, o armazém foi totalmente destruído, só sobrou o piso e o esqueleto das vigas de concreto. Mas o que mais dói é o cemitério de vagões e carros. Tudo abandonado. Resumindo, tem carros de passageiro, vagões diversos (graneleiros, tanques, de minérios), carro restaurante, bagageiro. Tudo servindo de moradia, motel, banheiro, ponto de drogas. Tudo muito sujo, nojento, queimado"..

Em março de 2016, o abandono, sujeira e devassidão era total.

(Veja também LINS-VELHA).

ABAIXO: Funcionários na estação de Lins, ainda em plena atividade, posando na plataforma em 1975, tendo atrás de si o auto de linha da RFFSA (O Avaiense, edição de junho de 2008).


Veja a rotunda do pátio de Lins
clicando sobre a fotografia acima. AO LADO: Albuquerque Lins, Presidente do Estado em 1908 (A Lua, março de 1908).

(Fontes: Antonio Silvano Gustinelli; Silvio Rizzo; José H. Bellorio; Daniel Gentili; Fábio Vasconcellos; José C. Bratfich; Hermes Hinuy; Eduardo Coelho; Edison Milani; Correio de Lins; Folha de S. Paulo, 1962; E. F. Noroeste do Brasil: relatórios anuais, 1930-54; O Avaiense, 2008; Guia Geral das Estradas de Ferro do Brasil, 1960; Mapas - acervo R. M. Giesbrecht)
     

Fachada da estação de Lins-nova, na época de sua abertura. Data - deve ser 1954. Acervo jornal Correio de Lins

Pátio da atual estação de Lins, a terceira, sem data. Foto José H. Bellorio

Estação de Lins em 1979. Foto José H. Bellorio

Estação de Lins em 1979. Foto José H. Bellorio

Estação de Lins, 2001. Foto Fábio Vasconcellos

Estação de Lins, plataforma, em 15/05/2001. Foto José H. Bellorio

Fachada de Lins, em 12/2002. Foto Hermes Hinuy

Plataforma de Lins, em 12/2002. Foto Hermes Hinuy

Fachada da estação de Lins em 27/4/2009. Foto Daniel Gentili

Estação de Lins - lado da plataforma - em 27/4/2009. Foto Daniel Gentili

A estação em 10/7/2010. Foto Daniel Gentili

Plataforma da estação em março de 2016. Foto Silvio Rizzo
     
Atualização: 14.02.2017
Página elaborada por Ralph Mennucci Giesbrecht.