A B C D E
F G H I JK
L M N O P
Q R S T U
VXY Mogiana em MG
...
Piquerobi
Presidente Wenceslau
Quilômetro 867
...

Tronco EFS - 1935

...
ESTIVE NO LOCAL: NÃO
ESTIVE NA ESTAÇÃO: NÃO
ÚLTIMA VEZ: N/D
...
 
E. F. Sorocabana (1921-1971)
FEPASA (1971-1998)
PRESIDENTE WENCESLAU
Municípios de Presidente Prudente (1921-1927);
Presidente Venceslau (1927-), SP
Linha-tronco original - km 870,242 (1924); km 857,234 (1931) (*); km 809,301 (1960) (**)
  SP-3972
Altitude: 405 m   Inauguração: 28.12.1921
Uso atual: sede da SEAAMA   com trilhos
Data de construção do prédio atual: 1960
 
 
HISTORICO DA LINHA: A E. F. Sorocabana foi fundada em 1872, e o primeiro trecho da linha foi aberto em 1875, até Sorocaba. A linha-tronco se expandiu até 1922, quando atingiu Presidente Epitácio, nas margens do rio Paraná. Antes, porém, a EFS construiu vários ramais, e passou por trocas de donos e fusões: em 1892, foi fundida pelo Governo com a Ytuana, na época à beira da falência. Em 1903, o Governo Federal assumiu a ferrovia, vendida para o Governo paulista em 1905. Este a arrendou em 1907 para o grupo de Percival Farquhar, desaparecendo a Ytuana de vez, com suas linhas incorporadas pela EFS. Em 1919, o Governo paulista voltou a ser o dono, por causa da situação precária do grupo detentor. Assim foi até 1971, quando a EFS foi uma das ferrovias que formaram a estatal FEPASA. O seu trecho inicial, primeiro até Mairinque, depois somente até Amador Bueno, desde os anos 20 passaram a atender principalmente os trens de subúrbio. Com o surgimento da CPTM, em 1994, esse trecho passou a ser administrado por ela. Trens de passageiros de longo percurso trafegaram pela linha-tronco até 16/1/1999, quando foram suprimidos pela concessionária Ferroban, sucessora da Fepasa. A linha está ativa até hoje, para trens de carga.
 
A ESTAÇÃO: A estação de Presidente Wenceslau, com o nome homenageando o Presidente da República Wenceslau Braz, que entregara o Governo em 1918, foi inaugurada em 1921, como ponta de linha, situação que perdurou por seis meses, até a abertura do trecho final que chegava a Presidente Epitácio, em maio de 1922. "Nesse dia (8/3/1921) os trilhos da Sorocabana encontravam-se nas imediações do atual cemitério. Cheguei com outros, exatamente às 8 horas da manhã. Logo após a chegada, dei início à demarcação e, em seguida, à abertura dos alicerces, iniciando-se dessa forma, segundo meu entender a fundação da atual Presidente Venceslau. À tardinha chegou a locomotiva no. 120, conduzida pelo maquinista Manoel Casemiro, que puxava o lastro da Empresa José Giorgi. Coroados foi o nome dado à povoação por se ter encontrado por aqui índios daquela tribo. A denominação perdurou até 28 de Dezembro de 1921, dia em que se inaugurou a estação, já com a denominação definitiva de Presidente Venceslau" (João Ribeiro, do site www.guiavenceslau.com.br). A povoação tornou-se município pouco tempo depois, em 13/5/1927. Em 1948, a revolta contra a estação estava publicada num jornal da Capital, a 800 km da cidade: "A estação é isso aí, a enfeiar a cidade. Acomodações exíguas, desprovida de marquise, plataforma estreita... mas não param aí suas deficiências. Falta-lhe um armazém anexo, o que dificulta sobremaneira o escoamento dos produtos do município (...) A estação (...) não está à altura do progreso da localidade" (Folha da Manhã, 15/4/1948). Em 1953, a população e imprensa local se revoltava contra o estado da velha estação: "A gente vai olhando os modernos traços arquitetônicos das diversas gares do trajeto, muitas das quais construídas em cidades com rendas que não atingem sequer uma terça parte do que arrecada a estação de Presidente Wenceslau, cuja cidade, pelos algraismos das estatísticas oficiais, se coloca entre as primeiras de toda a Alta Sorocabana em arrecadação, motivo pelo qual bem merece seja o seu asqueroso e sórdido pardieiro substituído por um prédio moderno, amplo e confortável. Sabemos de um projeto já aprovado oficialmente que não se dignou ainda o Diretor da Sorocabana pô-lo em execução. Nos dias de chuva intensa, o povo se aglomera em doidas cotoveladas na meia telha de nossa ridícula estaçãozinha e pratica verdadeiro malabarismo para tomar a silenciosa composição que chega luzente e fumegante. O passageiro que vem chegando moído e esfrangalhado pela penosa viagem tem que se transformar em homem de circo, para poder desembarcar com os familiares a sua bagagem (...) as exóticas atitudes que vão tomando os passgeiros que descem e os que procuram galgar os estribos que comumente se encontram a uma altura superior a oitenta centímetros do solo..." (A Tribuna, 1953). Somente em 1959 o prédio sofreu a esperada reforma, com aumento, obra feita pela então jovem Construtora Albuquerque, Takaoka, que quinze anos mais tarde ficou famosa pela construção do loteamento Alphaville, em Barueri e Santana de Parnaíba. A nova estação foi entregue no ano seguinte. Ela foi finalmente desativada pela Fepasa em fins de 1996. "Estive em Venceslau que foi recentemente pilhada, mas que ainda tinha uma graciosa placa de quilometragem e altitude, que foi devidamente guardada. Ela não tem nada a ver com outras estações que vi. Foi feita uma reforma (em 1959) moderna e feia. Andarilhos moravam nela até recentemente..." (Rodrigo Cabredo, 28/10/2000). Em 2009, o abandono continuava.

OBRAS OCORRIDAS NA ESTAÇÃO E SEU PÁTIO DE ACORDO COM RELATÓRIOS DA EFS: 1934 - Construção de um armazém


ACIMA: Casas de madeira do pátio, provavelmente ainda dos anos 1920, contrastam com os grande prédios ao fundo (Foto Guilherme F. Netto, fevereiro de 2009). ABAIXO: Vila ferroviária, construída pela Sorocabana em 1939 (Foto Silvio Rizzo)

TRENS - De acordo com os guias de horários, os trens de passageiros - pararam nesta estação de 1921 a 1999. Ao lado, um deles no pátio de Rancharia, em 1992. Clique sobre a foto para ver mais detalhes sobre esses trens. Veja aqui horários em 1968: SP-Botucatu e Botucatu-Pres. Epitacio e SP-Mairinque (Guias Levi).
(Fontes: Rodrigo Cabredo; Silvio Rizzo; Artur Silva; Guilherme F. Netto; João Ribeiro; www.guiavenceslau.com.br; A Tribuna, 1953; Folha da Manhã, 1948; Edmilson -; Cid José Beraldo; E. F. Sorocabana: Relatórios anuais , 1890-1969; Mapa - acervo R. M. Giesbrecht)
     

Plataforma da estação em outubro de 2000. Foto Rodrigo Cabredo

Frente da estação em outubro de 2000. Foto Rodrigo Cabredo

Hall da estação em outubro de 2000. Foto Rodrigo Cabredo

A estação em 02/2009. Foto Artur Silva

A estação em 02/2009. Foto Artur Silva

Patio em 30/6/2016. Foto Silvio Rizzo

Fachada em 30/6/2016. Foto Silvio Rizzo
   
     
Atualização: 27.08.2016
Página elaborada por Ralph Mennucci Giesbrecht.