A B C D E
F G H I JK
L M N O P
Q R S T U
VXY Mogiana em MG
...
Santa Maria do Paraíso
Rodrigues Alves
Inácio Pupo
...

ramal de Bauru-1935

IGGSP-1928
...
ESTIVE NO LOCAL: SIM
ESTIVE NA ESTAÇÃO: SIM
ÚLTIMA VEZ: 2011
...
 
Cia. União Sorocabana e Ytuana (1897-1907)
Sorocabana Railway (1907-1919)
E. F. Sorocabana (1919-1971)
FEPASA (1971-1998)
RODRIGUES ALVES
Município de São Manuel, SP (veja a vila)
Ramal de Bauru - km 341,928 (1934)   SP-1058
Altitude: 677 m (602 m na antiga placa)   Inauguração: 1897
Uso atual: em ruínas (2016)   com trilhos
Data de construção do prédio atual: 1926
 
 
HISTORICO DA LINHA: O ramal de Bauru teve origem na linha da Cia. Ituana (ramal de São Manuel) que saía de Porto Martins, no rio Tietê, que recebia os barcos da navegação fluvial da ferrovia, e chegava até São Manuel, em 1888. Quando a Ituana foi fundida com a Sorocabana para formar a CUSY, esta alterou radicalmente o ramal de São Manuel, usando parte dela para fazer uma linha que ligava a estação de Capão Bonito (mais tarde Rubião Júnior), logo após Botucatu, visando chegar à nascente e próspera cidade de Bauru. Outra parte se tornou o curto ramal de Porto Martins-Araquá. A linha chegou a Bauru em 1905. O agora ramal de Bauru sobreviveu até hoje, com algumas retificações feitas nos anos 1960, unindo as linhas da Paulista, da Noroeste e a linha-tronco da Sorocabana. Em 1976, o trem de passageiros foi suprimido na linha, mas os trens de carga mantém-na ativa até hoje.
 
ANO Total de passageiros embarcados
1906 11.738
1917 12.911
1918 12.768
1922 12.541
1934 13.857
1942 11.426
1943 12.381
1944 14.964
1945 14.598
1951 21.005
A ESTAÇÃO: Rodrigues Alves foi inaugurada em 1897.

Ganhou um novo edificio em 1926.

"Eu morei muitos anos em Rodrigues Alves, e viajei de trem, de lá a Lençóis Paulista enquanto estudei no Ginásio Estadual Virgilio Capoani, da 1º à 4º série - assim se chamava naquela época. Éramos aproximadamente uns 50 alunos, desde Rodrigues Alves, passando por Pasto Velho, Paranhos, Alfredo Guedes e finalmente Lençóis. Isto foi mais ou menos no fim dos anos 1950 e começo dos 1960" (Jorge Teles de Ataide, 11/2004).

"Tive a felicidade de nascer e crescer nesse lugar. Estudei na escola que aparece na foto (ver fotos da vila). O lugar era bem movimentado. Havia também uma agencia dos correios, próxima à capela. Existia ali um funcionário dos correios que fazia a distribuição da correspondência para todas as fazendas próximas. O nome do funcionário era Mario Borgato. Meu pai tinha uma oficina de ferreiro no local e era o responsável para fazer os consertos de todas as carroças da região. Seu nome era José Solano. Existia também ali, em frente a agencia dos correios uma "selaria", onde se faziam arreios e selas para cavalos" (Paulo Roberto Solano, 18/2/2015).

O prédio em ruínas em 2015 era o de 1926, que ainda conservava seus desvios, mas mostrava as marcas do abandono. O armazém estava vazio e a estação estava em ruínas. Acima do barranco, uma casa de turma, também abandonada. Não havia nada em volta, a não ser um sítio, que ficava a uns 50 metros. O local fica a cerca de 1 km da rodovia que liga São Manuel a Barra Bonita.


(Veja também a vila de Rodrigues Alves)

OBRAS OCORRIDAS NA ESTAÇÃO E SEU PÁTIO DE ACORDO COM RELATÓRIOS DA EFS: 1918 - Foi construída uma linha telegráfica entre as estações de Rodrgues Alves e a fluvial de Barra Bonita. 1926 - Extensão dos desvios para 220 m; 1934 - Construção de dois comodos na casa de turma


ACIMA: O alargamento do leito da ferrovia levou parte da plataforma da antiga estação. O promotor desta ação demolidora foi a ALL, que pouco se importa com o patrimônio ferroviário. Isto aconteceu em outras estações daquela região (Foto Jorge Luiz Luvizato, julho de 2010).

TRENS - De acordo com os guias de horários, os trens de passageiros pararam nesta estação entre 1897 e 1976. Ao lado, um destes trens está parado na plataforma da estação de Agudos, em 1927. Clique sobre a foto para ver mais detalhes sobre esses trens. Veja aqui horários em 1958 (Guias Levi).



AO LADO: Maus serviços da Sorocabana Railway em 1917 prejudicavam o escoamento do café em Rodrigues Alves (O Estado de S. Paulo, 18/7/1917).

(Fontes: Ralph M. Giesbrecht, pesquisa local; Jorge Luiz Luvizatto; Cleonir Antunes; José H. Bellorio; Adriano Martins; Jorge Teles de Ataide; Folha de S. Paulo, 16/1/1962; O Estado de S. Paulo, 1917; E. F. Sorocabana, relatórios anuais, 1892-1969; IGG-SP, 1928; Mapa - acervo R. M. Giesbrecht)
     

A estação de Rodrigues Alves, em 25/05/1999. Foto Ralph M. Giesbrecht

A estação de Rodrigues Alves, em 25/05/1999. Foto Ralph M. Giesbrecht

A estação de Rodrigues Alves, em 25/05/1999. Foto Ralph M. Giesbrecht

A estação em 23/03/2001. Foto José H. Bellorio

A estação em 02/2006. Foto Adriano Martins

A estação em ruínas, ao fundo. Foto Cleonir Antunes em 16/11/2015
     
Atualização: 19.11.2016
Página elaborada por Ralph Mennucci Giesbrecht.