A B C D E
F G H I JK
L M N O P
Q R S T U
VXY Mogiana em MG
Estações do Rio de Janeiro
...
RMV - Linha da Barra
...
Leite de Souza
Pedro Carlos
Conservatória
...

...
ESTIVE NO LOCAL: SIM
ESTIVE NA ESTAÇÃO: SIM
ÚLTIMA VEZ: 2012
...
 
E. F. Santa Isabel do Rio Preto (1885-1889)
V. F. Sapucaí (1889-1910)
Rede Sul-Mineira (1910-1931)
Rede Mineira de Viação (1931-1961)
PEDRO CARLOS
(antiga SANTA CRUZ)
Município de Valença, RJ
Linha da Barra - km 321,650 (1960)   RJ-0151
Altitude: 748 m   Inauguração: 20.06.1885
Uso atual: moradia? (2016)   sem trilhos
Data de construção do prédio atual: 1885
 
 
HISTORICO DA LINHA: O primeiro trecho da linha da Barra foi aberto pela V. F. Sapucaí em 1891. Chegou a Baependi em 1895 e parou. Do outro lado, os trechos entre Santa Rita do Jacutinga e Passa-Três, no Estado do Rio, foram construídos a partir de 1879 pela E. F. Santa Isabel do Rio Preto, a E. F. Pirahyense e a E. F. Santana, depois absorvidas pela Sapucaí. De Santa Rita a Baependi, seguiram da primeira para chegar a Baependi somente em 1910. Apenas nesse ano, então, consolidou-se a linha da Barra, com esse nome por causa de Barra do Piraí. Os trens de passageiros circularam até 1942 entre Barra do Piraí e Passa-Três, terminal da linha no Estado do Rio; até 1961, entre Santa Rita do Jacutinga e Barra do Piraí; até 1970, entre Bom Jardim e Santa Rita; até 1972 entre Soledade e Aiuruoca; e até 1977 entre Aiuruoca e Bom Jardim. Os trilhos de toda a linha já foram retirados.
 
A ESTAÇÃO: A estação de Santa Cruz foi inaugurada em 1885, pela E. F. Santa Isabel do Rio Preto. Pouco tempo mais tarde, seu nome foi alterado para Pedro Carlos: era o nome do engenheiro construtor da ferrovia (Pedro Carlos da Silva).

Em 1889, a ferrovia e a estação foram compradas pela E. F. Sapucaí.

Na foto da estação de Pedro Carlos, ainda com as suas letras com o nome, quilometragem e altitude, tirada em maio de 1989, a própria imagem da solidão de uma estação sem trens havia quase vinte anos...

Em 2001, já estava servindo como depósito, paredes foram retiradas... sua aparência era terrível. A estação, construída em taipa de pilão, pode ainda ter realmente o mesmo prédio que foi aberto em 1885.

Em 2012, quando ali estive pela primeira vez, seguia ainda mais deteriorada. Em 2016, estava do mesmo jeito, provavelmente utilizada como moradia.


ACIMA: Estação de Pedro Carlos em atividade, anos 1940 (Acervo Celeste Coelho Palha de Castro).

ACIMA: Nas paredes da velha estação, o nome em relevo e a quilometragem: diferente em 100 km da que aparece no Guia Geral de 1960 (ver no topo da página), é mais uma mostra de que as estações tinham essas refrencias constantemente alteradas por alteração de referenciais ou por variantes construídas, grandes ou pequenas (Foto Gutierrez L. Coelho, 2003).

.ACIMA: Ponte dos Arcos, a cerca de 800 metros da estação Pedro Carlos e que hoje passa sobre a rodovia que liga este distrito ao de Santa Izabel do Rio Preto. Erguida em pedra, cal e óleo de baleia, a ponte, com 100 m de extensão, 12 m de altura e 4 m de largura, transpõe o Córrego da Prata e a estrada que liga Conservatória a Santa Isabel do Rio Preto. Foi inaugurada em 1884, na presença de D. Pedro II. Naquela época, a região de Conservatória vivia o apogeu do ciclo do café. Após o fim das atividades ferroviárias se tornou uma atração turística da localidade (Fotos Jorge A. Ferreira em janeiro de 2011).

TRENS - De acordo com os guias de horários e outras fontes, os trens de passageiros pararam nesta estação de 1893 a 1961. Ao lado, um destes trens na estação de Bom Jardim de Minas, nos anos 1970. Clique sobre a foto para ver mais detalhes sobre esses trens. Veja aqui horários em julho de 1960 (Guias Levi).
(Fontes: Ralph M. Giesbrecht, pesquisa local; Celeste Coelho Palha de Castro; Jorge A. Ferreira; Renato C. Ramos; Gutierrez L. Coelho; Guias Levi, 1932-80; Cyro Deocleciano Ribeiro Pessoa Jr.: Estudo Descriptivo das Estradas de Ferro do Brasil, 1886; Mapa - acervo R. M. Giesbrecht)
     

A estação, em maio de 1989. Foto Renato C. Ramos

A estação já descaracterizada e semi-destruída, em 2001. Foto Jorge Alves Ferreira Jr.

A estação já descaracterizada e semi-destruída, em 2001. Foto Jorge Alves Ferreira Jr.

A estação em 1/2011. Foto Jorge A. Ferreira

A estação em 1/2011. Foto Jorge A. Ferreira

A estação em 29/9/2012. Foto Ralph M. Giesbrecht

A estação em 2016. Foto Fernando Marietan
   
     
Atualização: 02.06.2020
Página elaborada por Ralph Mennucci Giesbrecht.