A B C D E
F G H I JK
L M N O P
Q R S T U
VXY Mogiana em MG
...
Paraguassu Paulista
Sapezal
Santa Lina
...

Tronco EFS-1935
...
ESTIVE NO LOCAL: SIM
ESTIVE NA ESTAÇÃO: SIM
ÚLTIMA VEZ: 2010
...
 
Sorocabana Railway (1916-1919)
E. F. Sorocabana (1919-1971)
FEPASA (1971-1998)
SAPEZAL (antiga CARAMURU)
Município de Paraguassu Paulista, SP
Linha-tronco - km 655,536 (1931)   SP-1541
    Inauguração: 23.03.1916
Uso atual: moradia   com trilhos
Data de construção do prédio atual: n/d
 
 
HISTORICO DA LINHA: A E. F. Sorocabana foi fundada em 1872, e o primeiro trecho da linha foi aberto em 1875, até Sorocaba. A linha-tronco se expandiu até 1922, quando atingiu Presidente Epitácio, nas margens do rio Paraná. Antes, porém, a EFS construiu vários ramais, e passou por trocas de donos e fusões: em 1892, foi fundida pelo Governo com a Ytuana, na época à beira da falência. Em 1903, o Governo Federal assumiu a ferrovia, vendida para o Governo paulista em 1905. Este a arrendou em 1907 para o grupo de Percival Farquhar, desaparecendo a Ytuana de vez, com suas linhas incorporadas pela EFS. Em 1919, o Governo paulista voltou a ser o dono, por causa da situação precária do grupo detentor. Assim foi até 1971, quando a EFS foi uma das ferrovias que formaram a estatal FEPASA. O seu trecho inicial, primeiro até Mairinque, depois somente até Amador Bueno, desde os anos 20 passaram a atender principalmente os trens de subúrbio. Com o surgimento da CPTM, em 1994, esse trecho passou a ser administrado por ela. Trens de passageiros de longo percurso trafegaram pela linha-tronco até 16/1/1999, quando foram suprimidos pela concessionária Ferroban, sucessora da Fepasa. A linha está ativa até hoje, para trens de carga.
 
A ESTAÇÃO: A estação de Sapezal foi aberta em 1916, sendo ponta de linha durante três meses, até que fosse aberta a estação de Quatá. A história conta que, em 1924, imigrantes letões ali desceram, vindos de trem numa viagem de 22 horas, diretamente do navio que os trouxe da Europa. Da estação de Sapezal,

OBRAS OCORRIDAS NA ESTAÇÃO E SEU PÁTIO DE ACORDO COM RELATÓRIOS DA EFS: 1934 - Construção de um armazém

seguiram a pé por 31 quilômetros para uma região entre o que são hoje as cidades de Quatá e Tupã, além do rio do Peixe, onde fundaram a colônia batista letã de Varpa (espiga, em letão). Esta viveu dias faustosos durante os anos 1930 e 1940, mas hoje está praticamente vazia e abandonada - ver quadro logo abaixo. No dia 1o de maio de 1934, o nome da estação foi alterado para Caramuru, mas a mudança não demorou muito e foi revertida. De
VARPA
"Meu nome é Antenor de Barros Leite Filho. Estou com 69 anos. Sou paulista de Santo Anastácio, SP. Hoje moro em Itaipava, no município de Petrópolis. Até os 18 anos, cresci entre a Sorocabana e a Alta Paulista - Santo Anastácio, Tupã, Quatá e Sapezal. Quando morávamos em Tupã, íamos, todo ano, julho e dezembro, de férias para a fazenda de meu avô português, João Maricato, que se situava em frente à estação de Sapezal. A fazenda para nós, crianças, era uma maravilha, extensa, com um pomar enorme, cheia de pássaros, gambás... Assim, foi com a mais profunda emoção que li o texto e vi as fotos sobre estação de Sapezal. Naquela foto de 1934, certamente estão tios meus ainda rapazes e possivelmente até meu avô, que por ali labutou vindo de Jaboticabal. Éramos cinco irmãos que adorávamos aquele lugar. Entretanto, depois da morte de meus avós e com as guinadas da vida, nunca mais voltamos por ali. Gostaria de acrescentar que em minha juventude conheci muito os "letos da Varpa". Muitos estudaram comigo nos Colégios de Tupã (Milia Tupes, Genaites, Forstman). E havia outra colônia de "letos" perto da Varpa chamada Palma, onde era muito forte o aspecto do trabalho comunitário" (Antenor de Barros Leite Filho, junho de 2008).
qualquer forma, a estação de Sapezal chegou a ser sede de município entre 1935 e 1937, mas voltou a ser distrito, hoje de Paraguaçu Paulista. Não se se desenvolveu, na verdade regrediu. A estação em si já em 1986 estava fechada e abandonada, sem portas e janelas, com a cobertura da plataforma apenas tendo sua armação metálica e sem partes do telhado, como afirmava o relatório da Fepasa. Atualmente, o prédio continua ali, num ambiente ainda bucólico, mas reformado e servindo de moradia. "Sapezal é um bairro com várias casas de alvenaria e também de madeira. Há uma capela muito simpática no local,

ACIMA: O resto da vila, além da estação, não é muito mais do que isto: esta é a cena a um quarteirão da pequena estação. Uma (quase) cidade fantasma, fotografada aqui em 28 de dezembro de 2010 (Foto Ralph M. Giesbrecht).
com um coreto e tudo. Há até cemitério! Na estação há pessoas morando e as portas, do lado da plataforma, foram lacradas rusticamente com tijolinhos. O logo da EFS continua na lateral do prédio. Mais ao fundo da estação há uma antiga casa de turma, também com o logo da EFS. Uma senhora reside no local. Um local muito bonito, bonito mesmo..." (Adriano Martins, 01/2003). Na verdade, Sapezal já foi município, efêmero, nos anos 1930. A estação foi restaurada: em 2009, o jornal Folha da Estância publicou uma fotografia mostrando-a (ver abaixo). Em dezembro de 2010, a estação continua um brinco: um girador de locomotivas para o trem que vem de Paraguaçu alguns fins de semana poder virar ali foi colocado no pequeno pátio. O resto é uma vila pequeníssima e abandonada: é quase uma cidade fantasma.

TRENS - De acordo com os guias de horários, os trens de passageiros - pararam nesta estação de 1916 a 1999. Ao lado, um deles no pátio de Rancharia, em 1992. Clique sobre a foto para ver mais detalhes sobre esses trens. Veja aqui horários em 1968: SP-Botucatu e Botucatu-Pres. Epitacio e SP-Mairinque (Guias Levi).
(Fontes: Ralph M. Giesbrecht, pesquisa local; José Carlos Daltozo, 2000; Adriano Martins, 2003; Antenor de Barros Leite Filho, 2008; Glaucio Conde; Folha da Estância; Fepasa: Relatório de instalações fixas, 1986; O Estado de S. Paulo; E. F. Sorocabana: Relatórios oficiais, 1900-69; Mapa - acervo R. M. Giesbrecht)
     

A estação em 1934, com pessoas ligadas à campanha constitucionalista. Foto cedida por Glaucio Conde

Estação de Sapezal, abandonada em 1986. Foto do Relatório de instalações fixas da Fepasa, 1986

Estação de Sapezal, abandonada em 1986. Foto do Relatório de instalações fixas da Fepasa, 1986

O armazém de Sapezal, em 2000. Foto José Carlos Daltozo

Reformulada, a estação como moradia, em 2000. Foto José Carlos Daltozo

Estação de Sapezal em 01/2003. Foto Adriano Martins

Acima e ao lado direito, casas de turma da Sorocabana em Sapezal, em 01/2003. Fotos Adriano Martins

A estação restaurada, em foto de 2009. Folha da Estancia
     
Atualização: 18.05.2013
Página elaborada por Ralph Mennucci Giesbrecht.