A B C D E
F G H I JK
L M N O P
Q R S T U
VXY Mogiana em MG
Indice de estações
...
Morsing
Santana da Barra
Barra do Piraí
...

...
ESTIVE NO LOCAL: SIM
ESTIVE NA ESTAÇÃO: SIM
ÚLTIMA VEZ: 2008
...
 
E. F. Dom Pedro II (1864-1889)
E. F. Central do Brasil (1889-1975)
RFFSA (1975-1996)
SANTANA DA BARRA
(antiga SANTANNA e SANTANÉSIA)
Município de Barra do Piraí, RJ
Linha do Centro - km 102,315 (1928)   RJ-0623
Altitude: 362 m   Inauguração: 07.08.1864
Uso atual: abandonada e em ruínas (2015)   com trilhos
Data de construção do prédio atual: n/d
 
 
HISTORICO DA LINHA: Primeira linha a ser construída pela E. F. Dom Pedro II, que a partir de 1889 passou a se chamar E. F. Central do Brasil, era a espinha dorsal de todo o seu sistema. O primeiro trecho foi entregue em 1858, da estação Dom Pedro II até Belém (Japeri) e daí subiu a serra das Araras, alcançando Barra do Piraí em 1864. Daqui a linha seguiria para Minas Gerais, atingindo Juiz de Fora em 1875. A intenção era atingir o rio São Francisco e dali partir para Belém do Pará. Depois de passar a leste da futura Belo Horizonte, atingindo Pedro Leopoldo em 1895, os trilhos atingiram Pirapora, às margens do São Francisco, em 1910. A ponte ali constrruída foi pouco usada: a estação de Independência, aberta em 1922 do outro lado do rio, foi utilizada por pouco tempo. A própria linha do Centro acabou mudando de direção: entre 1914 e 1926, da estação de Corinto foi construído um ramal para Montes Claros que acabou se tornando o final da linha principal, fazendo com que o antigo trecho final se tornasse o ramal de Pirapora. Em 1948, a linha foi prolongada até Monte Azul, final da linha onde havia a ligação com a V. F. Leste Brasileiro que levava o trem até Salvador. Pela linha do Centro passavam os trens para São Paulo (até 1998) até Barra do Piraí, e para Belo Horizonte (até 1980) até Joaquim Murtinho, estações onde tomavam os respectivos ramais para essas cidades. Antes desta última, porém, havia mudança de bitola, de 1m60 para métrica, na estação de Conselheiro Lafayete. Na baixada fluminense andam até hoje os trens de subúrbio. Entre Japeri e Barra Mansa havia o "Barrinha", até 1996, e finalmente, entre Montes Claros e Monte Azul esses trens sobreviveram até 1996, restos do antigo trem que ia para a Bahia. Em resumo, a linha inteira ainda existe... para trens cargueiros.
 
A ESTAÇÃO: A estação de Sant'Anna foi inaugurada em 1864, tomando o nome de antiga fazenda do local. Nos anos 1940 teve o nome alterado para Santanésia, e logo depois para Santana da Barra (embora se leia no dístico Santana de Barra). Ali se encontravam a Linha do Centro e a Linha da Barra, esta da Rede Mineira de Viação e que ligava Soledade de Minas a Passa-Três, na serra fluminense. O trecho entre Barra do Piraí e Passa-Três foi suprimido entre 1942 e 1944. De acordo com Max Vasconcellos, cada linha tinha sua estação; a da RMV, pequena, ficaria espremida entre a linha e o rio Piraí, logo à entrada da cidade para quem vinha do Rio de Janeiro pela Linha do Centro. A estação da Central, de qualquer forma, fica hoje ao lado da rodovia que liga Piraí a Barra do Piraí. O telhado já havia caído em 2008, quando estive lá. Em 2015, as informações eram piores. (Veja também SANTANA-RMV)

ACIMA: Casa ferroviária - possívelmente do agente da estação - de Santana da Barra, bem próxima à estação, em 11/2008. ABAIXO: Os postes no bairro de Santana de Barra ainda possuem um tipo de luminárias quase em desuso no Rio de Janeiro, mas antigamente muito comuns (Fotos Ana Maria Linhares Giesbrecht, 22/11/2008).

O escritor e historiador cearense José Capistrano de Abreu viajava por todo o Brasil visitando seus amigos. Em abril de 1905 esteve na fazenda Ponte Alta, em Santana: "Rio de Janeiro, 12-4-1905 (...) Sigo amanhã para Sant'Anna passar uns 15 dias com Sá (...)" "Aqui cheguei no dia 13, e tenho passado uns dias deliciosos. Sexta-feira, 21, pretendo seguir para Volta Redonda, fazenda do Dr. Peixoto, onde ficarei até domingo. (...) Ponte Alta, 17-4-1905" (cartas a Pandiá Calógeras).
Ao lado, carimbo de 1889 da estação, ainda com grafia da EFDPII. Além disso, o datador do mês está invertido (Márcio Protzner, 01/2009).

ACIMA: Desastre ferroviário em Santana da Barra em 1955 (CLIQUE SOBRE A IMAGEM PARA VER A REPORTAGEM) (Revista da Semana, 15/1/1955).

TRENS - Os trens de passageiros pararam nesta estação de 1864 até 1996. Ao lado, o trem Barrinha, que fazia o percurso Japeri-Barra do Piraí até 1996. Clique sobre a foto para ver mais detalhes sobre esses trens. Veja aqui horários em 1978. Paravam também trens Rio-SP e Rio-BH. (Guias Levi).
(Fontes: Ralph Giesbrecht, pesquisa local; Ana Maria Linhares Giesbrecht; Alexandre Ferreira; J. E. Buzelin; Carlos Latuff; Jorge Ferreira; Marcio Protzner; Revista da Semana, 1955; José Honório Rodrigues: Correspondência de Capistrano de Abreu, volume 1, Rio de Janeiro, 1954; Max Vasconcellos: Vias Brasileiras de Communicação, 1928; Mapa - acervo R. M. Giesbrecht)
     

A estação, em 1999. Foto José Emilio Buzelin

A estação em 2003. Foto Carlos Latuff

A estação, em 2003. Foto Jorge A. Ferreira

A estação, em 2003. Foto Jorge A. Ferreira

A estação em 22/11/2008. Foto Ana Maria Linhares Giesbrecht

A estação em maio de 2016. Foto Alexandre Ferreira
     
Atualização: 26.05.2016
Página elaborada por Ralph Mennucci Giesbrecht.